14 Novembro 2017

RenovaBio: projeto de lei é protocolado na Câmara

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O deputado federal Evandro Gussi (PV-SP), presidente da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel, protocolou nesta terça-feira, dia 14, na Câmara dos Deputados o projeto de lei 9086/2017, que cria a Política Nacional de Biocombustíveis, o RenovaBio. Principal demanda do setor de biocombustíveis para o retorno de investimentos, maior produção e cumprimento de metas de redução de emissões de acordadas pelo Brasil na 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP-21), o RenovaBio era discutido dentro do governo federal há mais de um ano.

Uma minuta de Medida Provisória (MP) está na Casa Civil da Presidência da República desde agosto, mas o Executivo esperava o momento para encaminhar a proposta, mesmo que fosse por meio de um projeto de lei. No entanto, com a demora para o envio ao Congresso Nacional e a pressão dos produtores, o deputado se antecipou e decidiu protocolar o projeto de lei. "Há a necessidade de urgência para que a medida passe a tramitar na Câmara e temos o compromisso que será dada celeridade ao projeto do RenovaBio. Chegamos à conclusão de que o projeto estava maduro e foi fruto de uma ampla discussão", disse Gussi.

Com sete capítulos e 32 artigos, o projeto de lei sobre o RenovaBio é uma versão ampliada e mais detalhada da minuta da MP. Os dois primeiros capítulos das propostas são idênticos e a parte restante do projeto tem como base o que foi imaginado para ser a MP do RenovaBio.

Crédito de Descarbonização

Em linhas gerais, o projeto prevê metas compulsórias anuais de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa e criação do Crédito de Descarbonização de Biocombustíveis (CBIO). Considerado o principal eixo do RenovaBio, caso o projeto seja aprovado o CBIO será título emitido por produtores de biocombustíveis, cujo valor será calculado de acordo com a capacidade de cada um mitigar as emissões.

O CBIO seria escriturado e comercializado no mercado financeiro. Para a emissão do CBIO, produtores ou importadores precisam ser certificados e auditados e a operação de venda de biocombustíveis ser feita com nota fiscal. As distribuidoras comprariam o título com forma de compensar as emissões nas vendas de combustíveis fósseis, os produtores teriam receita para investir no setor e a redução de emissões seria comprovada. Os valores do CBIO será definido em uma regulamentação do projeto.

Adição a combustíveis fósseis

Diferentemente da minuta da MP, o projeto de lei prevê metas claras de aumento na adição obrigatória do biodiesel ao diesel de petróleo, do etanol anidro à gasolina e do bioquerosene ao querosene de aviação. No biodiesel, cuja mistura sairá de 8% para 10% em março de 2018, o projeto prevê um percentual de 15% até 1º de janeiro de 2022 e de 20% até 1º de janeiro de 2030. Para o etanol, a mistura à gasolina, hoje em até 27%, iria a 30%, e a 40%, respectivamente, nas mesmas datas. Além disso, a participação do etanol na matriz de combustíveis para veículos leves, incluindo o anidro e o hidratado utilizado direto no tanque, chegaria a 55% em 2030.

Para o bioquerosene de aviação, as misturas seriam de 5% e 10% até 2022 e 2030, respectivamente. Já o biogás teria, em relação ao gás natural, esses mesmos percentuais de uso e datas de implantação. "O projeto permite uma ampla regulação e prazos suficientes para que todas as questões técnicas sejam resolvidas", disse o deputado.

Gussi afirmou também que a implantação do RenovaBio não trará o impacto inflacionário temido pela equipe econômica do governo e que não há riscos de a proposta ser barrada pelo chamado vício de iniciativa, por supostamente ser exclusividade do Executivo. "O projeto foi tecnicamente lapidado para que ficassem apenas propostas de iniciativa parlamentar", concluiu.


Fonte Rural BR

Mais Notícias

Milho: cotações recuam quase 8% em uma semana

18-06-2018

A maior oferta interna de milho mantém os preços do cereal em queda em todas as praças acompanhadas pelo Cepea. No geral, a colheita da segunda safra de milho começou aos poucos em algumas regiões do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país.Assim, parte dos vendedores consultados pelo Cepea tenta escoar os estoques, visando liberar espaço para a entrada...

Leia mais...

Soja: vazio sanitário já começou em Santa Catarina

18-06-2018

O vazio sanitário da soja começou nesta sexta, dia 15, em Santa Catarina e vai até 15 de setembro, segundo a Secretaria de Agricultura do estado. Nesse período é proibido ter plantas em crescimento nas lavouras catarinenses para evitar a ferrugem asiática, uma das principais pragas da lavoura.  "A geada já está fazendo uma faxina em nosso...

Leia mais...

Soja despenca e acumula queda de 6,5% na semana

18-06-2018

Os contratos da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a última sexta-feira, 15, com preços mais baixos. Na sessão, o grão chegou atingir US$ 9,03 por bushel. No acumulado da semana, o vencimento de julho acumulou desvalorização de 6,67%.O mercado voltou a ser pressionado pela crescente tensão comercial entre Estados Uni...

Leia mais...

Cultivar de soja suporta o dobro de percevejos

17-06-2018

A primeira cultivar de soja com tolerância ao ataque de percevejos deverá estar disponível no mercado nas próximas safras. A tecnologia, desenvolvida pela Embrapa, tem elevado o potencial produtivo da lavoura e suporta o dobro do ataque de percevejos, sem reduzir o rendimento.Os resultados mostraram que as plantas desenvolvidas apresentaram alta pr...

Leia mais...

Ford apresenta F-150 Raptor 2019

17-06-2018

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,'script','playbuzz-sdk')); Fonte Rural BR

Leia mais...

Milho: novos híbridos prometem alta produtividade

17-06-2018

A empresa Sementes Agroceres apresentou nesta semana quatro novos híbridos de milho. De acordo com a companhia, todos produtos chegam ao mercado com uma tecnologia que auxilia na proteção da raiz contra ataques da larva-alfinete (diabrótica speciosa) e na proteção até a espiga contra ataques de lagartas da parte aérea, além de ser tolerante ao...

Leia mais...

Mercado de milho: o que esperar na próxima semana

16-06-2018

Acompanhe as indicações do analista Paulo Molinari, da consultoria Safras & Mercado, sobre o que vai ser importante para o mercado de milho na próxima semana. (function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.inse...

Leia mais...

USDA estima produção global recorde para 2018/19

15-06-2018

A produção mundial de café em 2018/19 deverá totalizar 171,166 milhões de sacas de 60 quilos, contra 159,768 milhões de sacas na temporada anterior, de acordo com projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).Segundo o USDA, o recorde na produção global deve ser impulsionado basicamente pela também recorde safra brasileira.O Bra...

Leia mais...

Chicago: soja atinge mínima de US$ 9,03 por bushel

15-06-2018

A soja negociada na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) abriu a sessão desta sexta-feira, 15, com forte queda. A oleaginosa chegou a registrar cotações mínimas de US$ 9,03 por bushel no contrato de julho, recuo superior a 2,3% em relação ao fechamento do dia anterior. No acumulado do mês, a queda é mair que 8%.Confira a reportagem completa ...

Leia mais...