11 Janeiro 2018

Soja: saiba como exterminar a ferrugem asiática

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Um dos primeiros cuidados que os produtores devem ter após o plantio da soja é realizar um bom monitoramento nas áreas semeadas. De acordo com pesquisador Erlei Reis, professor da Universidade de Passo Fundo (UPF), essas visitas à lavoura devem ser semanais ou duas vezes por semana durante todo o ciclo da cultura.

E o agricultor tem de entrar na lavoura, mesmo se ela estiver molhada de orvalho, com muito vento ou sol forte. Ali, deve coletar várias plantas e examinar desde o sistema radicular até as folhas, olhando principalmente debaixo das folhas com uma lupa de 20 aumentos para detectar se há manchas.

“Após 30 ou 35 dias de emergência da cultura, mesmo que o agricultor não tenha encontrado foco da doença, é recomendado o uso de fungicidas de forma preventiva”, explica Rafael Pereira, gerente sênior de inovação e desenvolvimento da UPL Brasil. Por recomendação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), essa aplicação deve ser repetida mais duas vezes, a cada 14 dias.

Quanto ao uso de fungicidas, as práticas recomendadas evoluíram muito desde que a doença chegou ao Brasil na safra 2001/02. Portanto é necessário que o agricultor siga as recomendações de órgãos oficiais como a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e de especialistas, que atualmente defendem o uso de fungicidas de sítios específicos combinados com fungicidas multissítios.

Ao ser identificada no Brasil, em 2001, a ferrugem-asiática foi controlada inicialmente com a aplicação de fungicidas de sítios específicos, como os triazóis, aplicados primeiramente isolados e depois misturados com as estrobilurinas. No entanto, desde 2008, os produtos isolados não são recomendados em decorrência da menor eficiência. Ocorre que, a partir de 2012/13, o fungo que causa a ferrugem asiática passou a manifestar resistência também às misturas de fungicidas de sítios específicos.

“Mais recentemente foi lançada uma molécula nova [também de sítio específico] chamada carboxamida, que tinha um controle espetacular, mas funcionou apenas por duas safras”, lembra Reis. Ele explica que, toda vez que o produtor aplica um destes três fungicidas isolados ou misturados, ele mata o fungo sensível, mas aumenta a proporção de resistência do fungo resistente.

Depois de estudar a ocorrência de problemas semelhantes nas lavouras de tomate e batata da Inglaterra, o pesquisador Erlei Reis, juntamente com outros colegas, verificou que o uso combinado de fungicidas de sítio específico com fungicidas multissítios possibilitou um amplo controle da doença. “Há mais de 40 anos esse problema está controlado na Inglaterra”, diz o pesquisador.

Portanto, o protocolo mais recomendado atualmente é a combinação de triazóis, estrobilurinas ou carboxamidas com fungicidas multissítios, que agem em seis locais no desenvolvimento do fungo ao mesmo tempo.

“Nós finalmente encontramos a solução, mas ela ainda é pouco usada. É necessário fazer uma ampla recomendação para o produtor rural”, avalia Reis. Na safra 2016/17, dos 33,4 milhões de hectares de soja cultivados, cerca de 19% receberam a aplicação da maneira correta com o multissítio. Apesar de pequena, essa área vem dobrando nas últimas três safras.

Além do monitoramento e da aplicação correta de fungicidas, o produtor também deve respeitar o vazio sanitário, plantar variedades de ciclo curto e no início da época recomendada, e optar por variedades de soja que toleram a ferrugem, recomenda Reis. “É um conjunto de ações que tornará o controle eficaz”, defende o pesquisador.

Oferecimento: 


Fonte Rural BR

Mais Notícias

Soja: vazio sanitário já começou em Santa Catarina

18-06-2018

O vazio sanitário da soja começou nesta sexta, dia 15, em Santa Catarina e vai até 15 de setembro, segundo a Secretaria de Agricultura do estado. Nesse período é proibido ter plantas em crescimento nas lavouras catarinenses para evitar a ferrugem asiática, uma das principais pragas da lavoura.  "A geada já está fazendo uma faxina em nosso...

Leia mais...

Milho: cotações recuam quase 8% em uma semana

18-06-2018

A maior oferta interna de milho mantém os preços do cereal em queda em todas as praças acompanhadas pelo Cepea. No geral, a colheita da segunda safra de milho começou aos poucos em algumas regiões do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país.Assim, parte dos vendedores consultados pelo Cepea tenta escoar os estoques, visando liberar espaço para a entrada...

Leia mais...

Soja despenca e acumula queda de 6,5% na semana

18-06-2018

Os contratos da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a última sexta-feira, 15, com preços mais baixos. Na sessão, o grão chegou atingir US$ 9,03 por bushel. No acumulado da semana, o vencimento de julho acumulou desvalorização de 6,67%.O mercado voltou a ser pressionado pela crescente tensão comercial entre Estados Uni...

Leia mais...

Cultivar de soja suporta o dobro de percevejos

17-06-2018

A primeira cultivar de soja com tolerância ao ataque de percevejos deverá estar disponível no mercado nas próximas safras. A tecnologia, desenvolvida pela Embrapa, tem elevado o potencial produtivo da lavoura e suporta o dobro do ataque de percevejos, sem reduzir o rendimento.Os resultados mostraram que as plantas desenvolvidas apresentaram alta pr...

Leia mais...

Ford apresenta F-150 Raptor 2019

17-06-2018

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,'script','playbuzz-sdk')); Fonte Rural BR

Leia mais...

Milho: novos híbridos prometem alta produtividade

17-06-2018

A empresa Sementes Agroceres apresentou nesta semana quatro novos híbridos de milho. De acordo com a companhia, todos produtos chegam ao mercado com uma tecnologia que auxilia na proteção da raiz contra ataques da larva-alfinete (diabrótica speciosa) e na proteção até a espiga contra ataques de lagartas da parte aérea, além de ser tolerante ao...

Leia mais...

Mercado de milho: o que esperar na próxima semana

16-06-2018

Acompanhe as indicações do analista Paulo Molinari, da consultoria Safras & Mercado, sobre o que vai ser importante para o mercado de milho na próxima semana. (function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.inse...

Leia mais...

USDA estima produção global recorde para 2018/19

15-06-2018

A produção mundial de café em 2018/19 deverá totalizar 171,166 milhões de sacas de 60 quilos, contra 159,768 milhões de sacas na temporada anterior, de acordo com projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).Segundo o USDA, o recorde na produção global deve ser impulsionado basicamente pela também recorde safra brasileira.O Bra...

Leia mais...

Chicago: soja atinge mínima de US$ 9,03 por bushel

15-06-2018

A soja negociada na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) abriu a sessão desta sexta-feira, 15, com forte queda. A oleaginosa chegou a registrar cotações mínimas de US$ 9,03 por bushel no contrato de julho, recuo superior a 2,3% em relação ao fechamento do dia anterior. No acumulado do mês, a queda é mair que 8%.Confira a reportagem completa ...

Leia mais...