12 Fevereiro 2018

Milho para canjica: preço chega ao dobro do normal

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A segunda safra brasileira de grãos tem o milho como principal protagonista. Entretanto a commodity também é uma das mais cultivadas no mundo e, em tempos de supersafras, é normal ver os preços caindo a patamares nada rentáveis. Uma alternativa para o milho tradicional, segundo pesquisador do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), é o milho para canjica, que além de demanda, chega a pagar o dobro do valor do milho tradicional.

É provável que a maioria dos apreciadores dessa sobremesa tradicionalmente brasileira nem saibam, mas praticamente toda a canjica consumida no país provém da cultivar de milho branco - IPR 127 -, desenvolvida no programa de melhoramento genético do Iapar.

O trabalho para o desenvolvimento do material começou na década de 1990, e contou com a ajuda de extensionistas da Emater-PR no levantamento das demandas de produtores e indústrias farinheiras da região de Irati, no Centro-Sul do Paraná. Eles apontaram a necessidade de um produto que aliasse bom desempenho na lavoura com características culinárias que agradassem o consumidor final de canjica e fubá.

Um híbrido simples, a cultivar IPR 127 é indicada para plantio tanto na primeira como na segunda safra. Tem ciclo precoce e boa tolerância ao acamamento e ao quebramento do colmo. Os grãos, do tipo duro, são os preferidos desse segmento, e também são muito valorizados pelo alto rendimento no processamento, descreve o pesquisador Deoclécio Domingos Garbuglio.

No aspecto comercial, o milho branco pode alcançar um preço de venda até 100% superior ao grão amarelo. “Mas é um produto de nicho, então é importante que o agricultor interessado neste mercado tenha assegurado o comprador de sua produção antes mesmo de fazer o plantio”, explica o pesquisador.

O Iapar também apresentou no Show Rural Coopavel, uma opção de milho variedade, IPR 164, alternativa que vem atraindo os produtores em virtude do menor preço das sementes. Segundo Garbuglio, esse item pode chegar a 20% do custo de formação de uma lavoura, considerando o preço médio dos materiais disponíveis no mercado.

“É um diferencial significativo. Por isso, ainda que tenha potencial de produção menor que híbridos simples, geneticamente modificados ou não, a variedade pode ser mais vantajosa economicamente, especialmente na segunda safra”, avalia o pesquisador.

O milho variedade IPR 164 foi desenvolvido com foco em produtores interessados na formação de lavouras com baixo uso de tecnologia ou para plantios de risco, quando as condições climáticas não mais possibilitam aproveitar todo o potencial genético dos híbridos.

É um material que se destaca pelas características agronômicas favoráveis, principalmente a produtividade, considerada alta para um milho variedade. Tem moderada resistência às principais doenças da cultura, boa tolerância ao acamamento e ao quebramento e produz espigas com excelente empalhamento, conclui o pesquisador.


Fonte Rural BR

Mais Notícias

MT: área de algodão na safra 2017/2018 cresce 25%

22-02-2018

Com o plantio da safra 2017/2018 praticamente encerrado, o presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Alexandre Pedro Schenkel, divulgou os resultados do levantamento de área de cultivo do algodoeiro.Segundo ele, a área de algodão no estado é estimada em 783 mil hectares, com aumento de 25% em relação à safra 201...

Leia mais...

Milho: janela de plantio está terminando em MG

22-02-2018

As lavouras de milho safrinha de Unaí (MG) começaram a ser cultivadas somente nos últimos dias, o que traz preocupação aos produtores uma vez que o prazo ideal para o cultivo do cereal termina no final do mês, destaca o departamento técnico da Cooperativa Agrícola de Unaí (Coagril).Fonte do departamento técnico destaca que frente há outros anos o a...

Leia mais...

Soja: consultoria corta safra da Argentina em 18%

22-02-2018

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam com preços mais altos nesta quarta-feira, dia 21. O mercado se manteve próximo do melhor patamar em sete meses, devido ao clima seco na Argentina, que deve persistir até o mês de março.Com o estresse hídrico desde novembro, a safra da Argentina foi cortada em...

Leia mais...

Cotação do arroz no RS cai 7% em 2018

21-02-2018

O ritmo de comercialização do arroz em casca está lento no Rio Grande do Sul. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), boa parte das indústrias e dos produtores demonstra baixo interesse em negociar novos lotes.A entidade explica que os agricultores têm ofertado o produto apenas quando há necessidade de “fazer...

Leia mais...

Café: preço em fevereiro acumula queda de 2,5%

21-02-2018

Os preços internos do café arábica estão em queda desde o final de 2017, pressionados pela perspectiva de uma safra 2018/2019 volumosa no Brasil. Nos últimos dias, as quedas nas cotações externas e a desvalorização do dólar intensificaram o movimento de baixa dos preços domésticos.Entre os dias 14 e 20 de fevereiro, o indicador Cepea/Esalq do arábi...

Leia mais...

Produção de soja em SC deve atingir recorde

21-02-2018

A produção de soja de Santa Catarina em 2017/18 deve atingir 2,52 milhões de toneladas, aumento de 5% ante o ciclo anterior. Se atingido, o volume será recorde, segundo a secretaria de agricultura do estado, que fez a projeção com base em levantamento do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).O crescimento leva em conta aumen...

Leia mais...

Fertilizantes: entregas caem 6,4% em janeiro

20-02-2018

As entregas de fertilizantes para o consumidor final em janeiro diminuíram 6,4% em relação a igual mês do ano passado e somaram 2,443 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, dia 20, pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).  A produção nacional de fertilizantes intermediários também recuou no mês p...

Leia mais...

Produção de etanol de milho cresce 130% em um ano

20-02-2018

No acumulado da safra 2017/2018 até o dia 1º de fevereiro, o volume de etanol fabricado a partir do milho totalizou 391,85 milhões de litros, sendo 322,07 milhões de litros de etanol hidratado e 69,79 milhões de litros de etanol anidro, volume 130% superior ao valor registrado em igual data do ciclo anterior. Os dados são da União da Indústria de C...

Leia mais...

Arroz: relação entre custo e preço preocupa setor

20-02-2018

O produtor de arroz, especialmente no Rio Grande do Sul, não terá lembranças tão positivas do ano de 2017. Os altos custos de produção na lavoura e os baixos preços praticados no mercado do grão, aliados à guerra fiscal e às importações de países do Mercosul, trouxeram dificuldades aos arrozeiros. A expectativa para o ano de 2018 é de que alguns de...

Leia mais...