16 Maio 2018

Agrotóxicos: alteração da lei é adiada novamente

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A votação na comissão especial da Câmara dos Deputados do projeto que modifica o sistema de registro, controle e uso de agrotóxicos e insumos agrícolas similares no país foi mais uma vez adiada, por obstrução de partidos contrários ao projeto. O texto simplifica a autorização para produção e comércio de pesticidas, o que na prática revoga a atual lei de agrotóxicos.

A exemplo de outras sessões, a reunião desta quarta, dia 16, foi muito tumultuada e marcada pela presença de ativistas de proteção do meio ambiente e representantes dos produtores rurais. Em meio ao debate de mais de três horas entre parlamentares que representam o setor produtivo e os que integram a frente ambientalista, foram trocadas ofensas e xingamentos.

O projeto em discussão, relatado pelo deputado Luiz Nishimori (PR-PR), muda a denominação de agrotóxicos para “produto fitossanitário” ou “produto de controle ambiental”, e prevê que a legislação não se baseie mais na noção de “perigo” do pesticida, mas que se faça uma avaliação de risco à saúde humana a partir da dosagem de substância tóxica contida no produto. O registro dos agrotóxicos ficaria, assim, vedado somente para produtos que apresentarem risco considerado “inaceitável” para a saúde humana e o meio ambiente.

Outro ponto polêmico do projeto é o que restringe o controle do uso de produtos fitossanitários ao Ministério da Agricultura. Aos órgãos federais de meio ambiente caberiam apenas o registro e fiscalização dos produtos de controle ambiental de florestas e áreas de preservação e não os de uso nas lavouras.

Atualmente, o controle é feito por diferentes órgãos, inclusive a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável por avaliar os níveis de agrotóxicos nos alimentos que chegam ao consumidor e de reavaliar as condições de toxicidade de produtos já registrados.

Os defensores da proposta questionam os dados disponíveis sobre a contaminação dos alimentos por agrotóxicos e reiteraram que a legislação atual está muito defasada. Argumentam ainda que o projeto vai baratear a produção. “Estamos modernizando uma lei de 50 anos”, defende o deputado Valdir Collato (MDB-SC).

“As pessoas falam muito sem saber exatamente do que estão falando. Todos os produtos que estão na mesa aqui no Congresso Nacional e na maioria dos restaurantes são certificados, têm licença da Anvisa, ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, do contrário não estaríamos aqui. Tem gente que fala a bobagem de que os brasileiros consomem sete quilos de agrotóxicos, que nós chamamos produtos fitossanitários, por ano no Brasil. Não teria ninguém de nós aqui nessa sala se assim acontecesse”, disse Collato.

Ambientalistas

Já os integrantes da frente ambientalista alertaram que o Brasil pode perder espaço e credibilidade no mercado internacional se afrouxar o controle dos agrotóxicos. Os oposicionistas também destacaram que diferentes órgãos ambientais, de saúde e do Judiciário, emitiram notas críticas e apontaram problemas de constitucionalidade do projeto.

“Os colegas que dizem que quem é contra não entende nada poderiam ler as notas técnicas, científicas. Eu não sei se a ciência tem alguma importância nessa casa, porque a Fundação Oswaldo Cruz emitiu um posicionamento público contrário ao projeto”, disse o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ).

O deputado citou ainda notas do Ministério Público Federal, da Anvisa, do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que se manifestaram nos últimos dias de forma crítica ao projeto e de forma contrária à mudança no marco regulatório dos agrotóxicos.

Os deputados contrários ao projeto querem que seja realizada uma audiência pública para ouvir representantes dos ministérios do Meio Ambiente e da Saúde antes da apreciação final do projeto, mas a comissão rejeitou o requerimento com a solicitação.

Parecer

O relator Nishimori defendeu seu parecer afirmando que “não quer colocar veneno no prato” das pessoas e que o projeto prevê a atuação da Anvisa na proibição do registro de produtos que apresentam risco “inaceitável” à saúde e ao meio ambiente.

“Nosso projeto quer colaborar com comida mais sadia e segura para nossa sociedade. Ninguém vai colocar novas substâncias, novos produtos no mercado. A Anvisa é muito competente, muito rígida e vai ter as mesmas funções de hoje”, defendeu o relator.

Aprovado na comissão especial, o projeto ainda deverá ser apreciado pelo plenário da Câmara.


Fonte Rural BR

Mais Notícias

Faturamento da AgroBrasília cresce 10% em relação à edição anterior

19-05-2019

Faturamento da AgroBrasília cresce 10% em relação à edição anterior

Realizada no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, no Distrito Federal, a AgroBrasília conseguiu aumentar o faturamento em 10%, totalizando R$ 1,2 bilhão, e superou a edição anterior. A Feita Internacional dos Cerrados, como é chamada, também bateu recorde de público: até o encerramento, no sábado, dia 18, cerca de 121 mil visitantes passaram pelos esta...

Leia mais...

Direto ao Ponto estreia novo formato e discute prorrogação do PRA

19-05-2019

Direto ao Ponto estreia novo formato e discute prorrogação do PRA

O Direto ao Ponto, tradicional programa de entrevistas das noites de domingo do Canal Rural, está de cara nova. Agora, dois convidados participam simultaneamente, de forma a enriquecer o debate.Estreando o formato, o deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR) e o consultor de Meio Ambiente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Vicente Silva, fal...

Leia mais...

Procurando emprego em Agronomia? Rede social reúne 1.800 vagas

19-05-2019

Procurando emprego em Agronomia? Rede social reúne 1.800 vagas

Cursa ou é formado na área de Agronomia e está procurando por oportunidades no mercado de trabalho? Há mais de 1.800 vagas abertas no LinkedIn, segundo pesquisa. A plataforma traz anúncios de empresas que buscam diretamente seus profissionais e também agências de empregos.A Ouro Fino, por exemplo, está com uma vaga de estágio em inteligência de mer...

Leia mais...

Mais lida: Bolsonaro sanciona lei que regulamenta terapia com cavalos

19-05-2019

Mais lida: Bolsonaro sanciona lei que regulamenta terapia com cavalos

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta semana, a lei que regulamenta a terapia com cavalos. Segundo publicação feita no Diário Oficial da União (DOU), a equoterapia deverá ser adotada mediante parecer favorável de avaliação médica, psicológica e fisioterápica, além de ser obrigatório a formação de uma equipe composta por um médico veterinário...

Leia mais...

Confira o que pode mexer com as cotações do milho na próxima semana

19-05-2019

Confira o que pode mexer com as cotações do milho na próxima semana

Esta semana, as cotações do milho registraram forte alta na Bolsa de Chicago. De acordo com o analista da Safras Consultoria Fernando Henrique Iglesias, o movimento se tornou consistente à medida que informações sobre o clima para as lavouras norte-americanas foram divulgadas.Os índices pluviométricos previstos para as próximas duas semanas tendem ...

Leia mais...

Instituto avalia uso de palha de cana-de-açúcar para gerar energia

19-05-2019

Instituto avalia uso de palha de cana-de-açúcar para gerar energia

Com o objetivo de auxiliar a indústria sucroalcooleira no reaproveitamento da palha da cana-de-açúcar, pesquisadores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) estudam a utilização do subproduto para gerar energia elétrica. O potencial, segundo a entidade, é bastante similar ao do bagaço, mas usinas têm apenas descartado no campo ou queimado esse...

Leia mais...

Freio de Ouro: assista ao vivo à Classificatória Aberta em Esteio

19-05-2019

Freio de Ouro: assista ao vivo à Classificatória Aberta em Esteio

Direto de Esteio, no Rio Grande do Sul, o Canal Rural transmite ao vivo neste domingo, dia 19, a final da Classificatória Aberta ao Freio de Ouro. Os 16 mais bem pontuados nesta etapa, sendo 8 machos e 8 fêmeas, vão para a grande final da maior prova do cavalo crioulo.A quarta classificatória da temporada integra a programação da XV Fenasul e leva ...

Leia mais...

Faculdade CNA abre inscrições para cursos a distância

19-05-2019

Faculdade CNA abre inscrições para cursos a distância

Estão abertas as inscrições para os cursos de ensino superior a distância em Gestão do Agronegócio, Gestão Ambiental, Gestão de Recursos Humanos e Processos Gerenciais da Faculdade CNA. A instituição atua na formação de profissionais focados na gestão, aumento de competitividade e sustentabilidade dos empreendimentos rurais para que possam auxiliar...

Leia mais...

Ervas daninhas: conheça as técnicas de manejo sem agroquímicos

19-05-2019

Ervas daninhas: conheça as técnicas de manejo sem agroquímicos

Controle de plantas daninhas: métodos físico, mecânico, cultural, biológico e alelopatia é o título do livro lançado pela Embrapa. Segundo um dos editores técnicos, o pesquisador Maurílio Fernandes de Oliveira, da área de Produção Vegetal da unidade Milho e Sorgo, o livro é a primeira obra nacional a abordar o controle de ervas-daninhas por métodos...

Leia mais...