31 Maio 2018

Governo corta R$ 12 mihões da Agricultura

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Para atender o pedido dos caminhoneiros e baixar o preço do óleo diesel, o governo federal aceitou bancar a redução de R$ 0,07 por litro do combustível. Para isso, cortou recursos de vários órgãos. Um deles é o Ministério da Agricultura que vai perder R$ 12,35 milhões do orçamento previsto para este ano.

A decisão, publicada na Medida Provisória 839/2018, abre um crédito de R$ 9,5 bilhões para o Ministério de Minas e Energia (MME) para subvencionar esse valor e de R$ 80 milhões para o Ministério da Defesa, para custear a atuação das forças nacionais na desmobilização da greve dos transportadores.

O cancelamento de recursos afeta o orçamento de praticamente todos os órgãos do governo federal. No Ministério da Agricultura esse corte chega a R$ 12,35 milhões. A área de defesa agropecuária, por exemplo, vai perder quase R$ 3 milhões para ações e programas de fortalecimento da sanidade animal e de modernização de laboratórios oficiais, por exemplo. O seguro rural também será afetado com menos R$ 3,4 milhões para serem aplicados em 2018.

Outros programas, como o Plano ABC e a agricultura irrigada, também terão menos dinheiro.

A Embrapa teve o cancelamento de R$ 2,826 milhões em programas de pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologias e o projeto de construção e implantação da Embrapa Quarentena Vegetal, no Distrito Federal.

Até mesmo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) sofreram cortes, com o cancelamento de R$ 660 milhões e R$ 226 mil, respectivamente.

Procurado pelo Canal Rural, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, não quis se posicionar sobre os cortes no orçamento e ressaltou que a pasta está trabalhando para que o produtor rural não seja afetado.

Ele destacou o momento de dificuldade no campo em função da paralisação dos caminhoneiros e que, por ora, a preocupação da pasta é estudar as medidas possíveis para que não haja prejuízos para o setor. Novacki também confirmou que estuda mecanismos para a renegociação de dívidas causadas pela greve.

Ele ressaltou que mantém conversas com os ministros do Planejamento, Esteves Colnago, e da Fazenda, Eduardo Guardia, para o fechamento do Plano Safra e deve ter novidades na próxima segunda-feira, dia 4. O objetivo é encontrar mecanismos dentro do programa para atender as demandas causadas pela greve.

Agricultura familiar perde maisA Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead), vinculada à Presidência da República, perdeu R$ 17 milhões do orçamento. As políticas de reforma agrária e regularização fundiária, bem como a assistência técnica e extensão rural foram fortemente afetadas.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) perdeu R$ 32 milhões em programas de reforma agrária, educação no campo, desenvolvimento de assentamentos rurais, aquisição de máquinas e equipamentos e até a obtenção de imóveis rurais para criação de assentamentos da reforma agrária.

Já a Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, também vinculada à Presidência da República, sofreu cancelamento de R$ 847 mil para as ações de Fomento à Produção Pesqueira e Aquícola, Desenvolvimento da Infraestrutura Pesqueira e Aquícola, Ordenamento, Monitoramento, Controle e Fiscalização da Atividade Pesqueira, Funcionamento dos Terminais Pesqueiros Públicos de Propriedade e Administração da União.

Como funcionará a subvençãoA redução do preço do óleo diesel na refinaria chegará a R$ 0,46. Parte desse desconto virá da retirada de impostos, como a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e a diminuição de PIS/Cofins. Para compensar esses valores, o governo vai acabar com isenções fiscais que concedia para alguns setores e sancionou a lei de reoneração da folha de pagamento das empresas.

Dos R$ 0,46, apenas R$ 0,07 será subvencionado pelo governo. Esse valor será repassado aos distribuidores e vendedores de óleo diesel que praticarem o preço máximo de comercialização, que será, por 60 dias, de R$ 2,03.

Ou seja, o governo garante que o preço na refinaria é de R$ 2,03 por litro. Quem vender a R$ 2,03 vai receber R$ 0,07 dessa subvenção e, no total, terá receita de R$ 2,10. Na prática, a União paga a diferença que não será cobrada na bomba para o consumidor final.


Fonte Rural BR

Mais Notícias

Soja: vazio sanitário já começou em Santa Catarina

18-06-2018

O vazio sanitário da soja começou nesta sexta, dia 15, em Santa Catarina e vai até 15 de setembro, segundo a Secretaria de Agricultura do estado. Nesse período é proibido ter plantas em crescimento nas lavouras catarinenses para evitar a ferrugem asiática, uma das principais pragas da lavoura.  "A geada já está fazendo uma faxina em nosso...

Leia mais...

Milho: cotações recuam quase 8% em uma semana

18-06-2018

A maior oferta interna de milho mantém os preços do cereal em queda em todas as praças acompanhadas pelo Cepea. No geral, a colheita da segunda safra de milho começou aos poucos em algumas regiões do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país.Assim, parte dos vendedores consultados pelo Cepea tenta escoar os estoques, visando liberar espaço para a entrada...

Leia mais...

Soja despenca e acumula queda de 6,5% na semana

18-06-2018

Os contratos da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a última sexta-feira, 15, com preços mais baixos. Na sessão, o grão chegou atingir US$ 9,03 por bushel. No acumulado da semana, o vencimento de julho acumulou desvalorização de 6,67%.O mercado voltou a ser pressionado pela crescente tensão comercial entre Estados Uni...

Leia mais...

Cultivar de soja suporta o dobro de percevejos

17-06-2018

A primeira cultivar de soja com tolerância ao ataque de percevejos deverá estar disponível no mercado nas próximas safras. A tecnologia, desenvolvida pela Embrapa, tem elevado o potencial produtivo da lavoura e suporta o dobro do ataque de percevejos, sem reduzir o rendimento.Os resultados mostraram que as plantas desenvolvidas apresentaram alta pr...

Leia mais...

Ford apresenta F-150 Raptor 2019

17-06-2018

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,'script','playbuzz-sdk')); Fonte Rural BR

Leia mais...

Milho: novos híbridos prometem alta produtividade

17-06-2018

A empresa Sementes Agroceres apresentou nesta semana quatro novos híbridos de milho. De acordo com a companhia, todos produtos chegam ao mercado com uma tecnologia que auxilia na proteção da raiz contra ataques da larva-alfinete (diabrótica speciosa) e na proteção até a espiga contra ataques de lagartas da parte aérea, além de ser tolerante ao...

Leia mais...

Mercado de milho: o que esperar na próxima semana

16-06-2018

Acompanhe as indicações do analista Paulo Molinari, da consultoria Safras & Mercado, sobre o que vai ser importante para o mercado de milho na próxima semana. (function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.inse...

Leia mais...

USDA estima produção global recorde para 2018/19

15-06-2018

A produção mundial de café em 2018/19 deverá totalizar 171,166 milhões de sacas de 60 quilos, contra 159,768 milhões de sacas na temporada anterior, de acordo com projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).Segundo o USDA, o recorde na produção global deve ser impulsionado basicamente pela também recorde safra brasileira.O Bra...

Leia mais...

Chicago: soja atinge mínima de US$ 9,03 por bushel

15-06-2018

A soja negociada na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) abriu a sessão desta sexta-feira, 15, com forte queda. A oleaginosa chegou a registrar cotações mínimas de US$ 9,03 por bushel no contrato de julho, recuo superior a 2,3% em relação ao fechamento do dia anterior. No acumulado do mês, a queda é mair que 8%.Confira a reportagem completa ...

Leia mais...