14 Abril 2019

Agrotóxicos: ministério garante segurança para destravar fila de registro

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, José Guilherme Leal, esclareceu que não há “liberação geral” de agrotóxicos na gestão de Tereza Cristina. Segundo ele, houve melhorias nos processos da pasta, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) com a manutenção de todos os procedimentos de segurança na avaliação de defensivos agrícolas. Leal destacou que a maioria dos produtos registrados neste ano são genéricos e estavam na fila de espera há muitos anos. O desafio agora é dar mais agilidade, com a mesma rigidez, aos registros de novas moléculas. As afirmações foram feitas no programa Direto ao Ponto deste domingo, dia 14.

“O que houve foi um trabalho de melhoria dos processos de análise do Ministério da Agricultura, Anvisa e Ibama, uma mudança de rotina que tem dado resultado desde 2017. Tivemos aumento, sim, na concessão de registros e a expectativa é que isso continue. Queremos aperfeiçoar os processos, mas não se pula nenhuma etapa da questão de segurança desses produtos”, afirmou Leal.

Entre 1º de janeiro e 9 de abril, foram registrados 93 defensivos agrícolas no país: 44 genéricos, 42 produtos formulados químicos e 7 produtos formulados de baixa toxicidade. Mais de 70% desses registros são de processos que aguardavam na fila há mais de quatro anos. Sete deles foram protocolados há mais de oito anos.

O secretário destacou ainda que o aumento no número de registros não significa que o uso dos produtos na lavoura também será maior. “O agricultor vai usar de acordo com a necessidade dele. Apenas aumenta a oportunidade de ele escolher entre marcas de um mesmo produto”.

A intenção do Ministério da Agricultura é conseguir tirar da fila de espera as moléculas novas. “Elas têm tendências a ser menos tóxicas, mais eficientes e exigir doses menores. O processo cumpre mais etapas, mas precisamos melhorar sem qualquer prejuízo à avaliação e ao rigor técnico. Não precisa demorar oito anos para análise. Temos que respeitar a fila, mas fazendo o registro dos genéricos vamos conseguir chegar mais rápido nessas moléculas novas”. O secretário afirmou ainda que a prioridade é aprovar mais produtos biológicos, sem impacto ao meio ambiente. O interesse e procura de agricultores por esses defensivos têm aumentado nos últimos tempos.

José Guilherme Leal contou que o ambiente ainda está conturbado em decorrência das operações Carne Fraca e Trapaça, que identificaram corrupção em vários frigoríficos do país. O trabalho para reconquistar a confiança de alguns mercados que continuam fechados é árduo e conta com a ministra Tereza Cristina na linha de frente, com visitas programadas em diversas partes do mundo. Ele lembrou ainda que é preciso cobrar mais das empresas privadas no processo de fiscalização dos procedimentos de produção.

“Queremos vender, temos condições de dar as garantias para o mercado que quer comprar? O ministério vai dar as garantias dele e as indústrias precisam fazer a parte delas. Estamos aprimorando informações para dar as garantias e recolocar o Brasil no devido patamar. Para isso, devemos ser rigorosos e não podemos cometer erros do passado”, disse.

O secretário de Defesa Agropecuária também comentou a necessidade de mudar a lei de defensivos. A discussão sobre o projeto em tramitação no Congresso Nacional deve ser retomada em breve. “O ministério vai dar todos os subsídios para a discussão. O que achamos importante é caracterizar a avaliação com a análise de risco e não com o perigo. Todos os países estão usando análise de risco e no Brasil a discussão está madura agora. Essa mudança vai nos dar ferramenta com maior embasamento científico para avaliação e potencial de liberar ou não e os cuidados necessários para utilização dos defensivos”.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Decreto de armas: 4 fatos que você precisa saber

24-06-2019

Decreto de armas: 4 fatos que você precisa saber

1-STF deve analisar decreto de armas na quarta-feiraO ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), pautou para a sessão extraordinária do próximo dia 26 de junho a análise das ações que questionam decreto do presidente da República, Jair Bolsonaro, que trata de posse, porte e comercialização de armas de fogo e munição.Ao tod...

Leia mais...

Governo libera 42 agroquímicos nesta segunda; objetivo é diminuir custos

24-06-2019

Governo libera 42 agroquímicos nesta segunda; objetivo é diminuir custos

O Ministério da Agricultura oficializou nesta segunda-feira, dia 24, no Diário Oficial da União (DOU) a publicação do ato nº 42, do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, com o registro de 42 defensivos agrícolas. Desse total, apenas um produto traz um ingrediente ativo novo, os demais são produto...

Leia mais...

De olho na China, JBS aumenta em 50% capacidade produtiva da unidade de Ituiutaba

24-06-2019

De olho na China, JBS aumenta em 50% capacidade produtiva da unidade de Ituiutaba

A JBS, uma das maiores indústrias de alimentos do mundo, anunciou que pretende ampliar em 50% a capacidade de produção da unidade de Ituiutaba (MG). A intenção é atender a mercados do exterior, como China – que, desde a quinta-feira, dia 13, já pode comprar carne bovina do Brasil novamente -, Europa, Oriente Médio e Chile.A companhia pretende começ...

Leia mais...

Milho: colheita avança e chega em 19% no Centro-Sul, diz AgRural

24-06-2019

Milho: colheita avança e chega em 19% no Centro-Sul, diz AgRural

A continuidade do tempo quente e seco em todo o Centro-Sul do Brasil rendeu mais uma semana de bom avanço na colheita da segunda safra de milho. Segundo a consultoria AgRural, até a última quinta-feira, dia 20, 19% da área cultivada com o cereal estava colhida na região, contra 10% uma semana antes, 5% na mesma época do ano passado e 7% na média de...

Leia mais...

Relatório Focus: Mercado financeiro projeta PIB do Brasil em 0,87%

24-06-2019

Relatório Focus: Mercado financeiro projeta PIB do Brasil em 0,87%

A economia do Brasil deve crescer menos, segundo estimativa do mercado financeiro. De acordo com o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, dia 24, a expectativa das instituições financeiras para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2019 saiu de 0,93% para 0,87%. Essa foi a 17ª redução consecutiva.A expectativa das entidades é que a econ...

Leia mais...

China e EUA antecipam encontro e negociações ocorrem antes do G20

24-06-2019

China e EUA antecipam encontro e negociações ocorrem antes do G20

Negociadores da China e dos Estados Unidos estão discutindo soluções para suas desavenças comerciais antes da aguardada reunião entre os líderes dos dois países, às margens da cúpula do G20 que acontece no Japão no fim desta semana. Wang Shouwen, um vice-ministro de Comércio chinês, disse nesta segunda-feira, dia 24, que os dois lados estão tentand...

Leia mais...

Previsão para a semana: chuvas retornam para o Sul e tempo seco persiste em MT

24-06-2019

Previsão para a semana: chuvas retornam para o Sul e tempo seco persiste em MT

A semana começa com tempo firme em quase todas as regiões. A exceção é o Norte do país. Esta condição muda a partir de terça-feira quando as precipitações retornam para o Rio Grande do Sul. No dia seguinte as instabilidades se espalham para o restante dos estados do Sul e parte de Mato Grosso do Sul e São Paulo. Confira abaixo como ficará o clima p...

Leia mais...

Plano Safra: mais crédito e menos burocracia são conquistas da FPA

23-06-2019

Plano Safra: mais crédito e menos burocracia são conquistas da FPA

O programa Direto ao Ponto deste domingo, dia 23, recebe o deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS) e o subsecretário de Política Agrícola e Meio Ambiente do Ministério da Economia, Rogério Boueri. Os convidados debatem as novidades do Plano Safra 2019/2020, lançado essa semana, em Brasília. Com ele, produtores rurais terão acesso a R$ 225,59 bilhõe...

Leia mais...

Soja/milho: frete está até 31% mais caro nas principais rotas do país

23-06-2019

Soja/milho: frete está até 31% mais caro nas principais rotas do país

Um levantamento realizado pela consultoria Safras & Mercado aponta que o preço dos fretes está mais caro nesta semana, ante as semanas anteriores. Alguns trechos chegam a registrar valores 31% mais elevados.O frete entre Cascavel e Paranaguá subiu de R$ 95 para R$ 125 por tonelada, ou seja 31%. Entre Sorriso (MT) e Paranaguá, o preço por tonelada s...

Leia mais...