15 Maio 2019

China e Brasil vão tratar de certificados de produtos florestais em novembro

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Empresários brasileiros e chineses do setor de florestas plantadas e celulose se reuniram com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta quarta-feira, dia 25. No encontro, em Pequim, eles solicitaram a uniformização dos certificados fitossanitários para comércio desse tipo de produto.

A ministra sugeriu que o tema seja debatido na reunião do Brics — grupo integrado por ambos os países, além de Rússia, Índia e África do Sul —, que acontecerá no Brasil, em novembro.

Tereza Cristina destacou alto uso de tecnologia no setor, que tem crescido dentro da economia brasileira, e a busca por ampliar os negócios com a China, maior importador mundial de celulose. “É um setor que teve um desenvolvimento pujante nos últimos anos, extremamente organizado. Eu me orgulho muito de ser de um estado que resolveu parte dos seus problemas quando trouxe essa atividade florestal como uma das principais, o Mato Grosso do Sul”, disse.

Atualmente, o Brasil tem 10 milhões de hectares de árvores plantadas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que corresponde a 1% do território nacional, mas é responsável por 91% de toda a madeira para fins industriais. Desse total, 5,8 milhões de hectares têm algum tipo de certificação florestal, com indicadores reconhecidos internacionalmente que garantem sustentabilidade dos produtos, conforme dados do ministério.

As florestas plantadas estão localizadas principalmente em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul, em São Paulo e Mato Grosso do Sul.

De acordo com o diretor Jurídico e de Relações Institucionais da Suzano, Pablo Machado, as exportações do setor chegam a US$ 12,5 bilhões. A China, conforme o executivo, respondeu por 42,7% das vendas no ano passado e 40%, em 2017. “Brasil é um parceiro confiável e tem capacidade de ofertar mais celulose à China. Gostaríamos de continuar e ampliar em longo prazo essas parcerias”. Suzano lidera o segmento de celulose de eucalipto no Brasil.

Em 2017, o setor respondeu por 5% das exportações brasileiras e 10% das exportações do agronegócio. A produção florestal ocupa o quarto lugar, ficando atrás apenas da soja, das carnes e do setor sucroalcooleiro.

hbspt.cta.load(5130076, '73eecd4b-3f9f-4c4c-8ba1-49eb50e12b94', {});

Já José Carlos da Fonseca Junior, diretor de Relações Institucionais da Ibá, propôs que áreas degradadas no Brasil sejam usadas para florestas plantadas, o que renderia mais de US$ 6 bilhões de investimentos nos próximos anos. “Brasil pode expandir as capacidades e suprir as necessidades crescentes da China”. Segundo os produtores, o país lidera o ranking global de produtividade florestal, com uma média de 35,7 m³/ha/ano para o plantio de eucalipto e 30,5 m³/ha/ano para pinus, o que representa quase duas vezes mais a produtividade dos países do Hemisfério Norte.

No ano passado, o Ministério da Agricultura lançou o Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas, que prevê aumentar em 2 milhões de hectares a área de cultivos comerciais até 2030.

Tereza Cristina reuniu-se também com o Frank Ning, CEO da ChemChina e da Sinochem, empresas chinesas que atuam nos setores de agroquímicos e energia. Na reunião, Ning disse que com a disputa comercial entre os Estados Unidos e a China os chineses “cada vez mais terão de diversificar a busca por alimentos e comprar mais do Brasil”.

Tereza Cristina vem ressaltando que a disputa pode ser uma oportunidade para os exportadores brasileiros aumentarem a participação no mercado chinês, maior importador de soja e carnes.

A ministra destacou que, no último dia 11 em Niigata (Japão), os Líderes de Agricultura do Hemisfério Ocidental assumiram o compromisso de trabalhar em conjunto “em defesa da segurança alimentar global e do comércio agrícola, com base em princípios científicos e de análises de risco”, o que pode estimular as relações com os chineses. Tema abordado na apresentação do CEO da Companhia das Cooperativas Agrícolas do Brasil (CCAB), Jones Yasuda, que destacou o papel do Brasil na nutrição e segurança alimentar global nas próximas décadas.

Ning informou ainda que as empresas do grupo são sustentáveis e não haverá problemas para o fornecimento de produtos aos clientes, incluindo os produtores brasileiros.

O deputado federal e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Alceu Moreira (MDB-RS), que integra a comitiva, tratou da importância de o Congresso Nacional concluir a votação da proposta que altera a legislação sobre agroquímicos. Os parlamentares da comitiva acompanharam as duas reuniões desta quarta-feira.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

18-07-2019

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

O economista Alexandre Cabral afirma que, após a aprovação da reforma da Previdência, o governo deve lançar novas medidas para estimular a economia. Ele também comenta a queda na cotação do dólar, diante de um cenário externo otimista. “Esse otimismo gera expectativa de quedas mais rápidas, com juros mais baixos, tendo boas consequências na economi...

Leia mais...

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

18-07-2019

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei 348/2019, que pode suspender o uso de cães durante a caça de javalis. O texto é de autoria do deputado federal Ricardo Izar (PP-SP). A medida visa não abrir precedentes para maus-tratos aos animais em caçadas.O caçador de javalis Mário Quinichala afirma que o impacto da caça sem cães são muito negati...

Leia mais...

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

18-07-2019

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, dia 18, durante transmissão ao vivo pelo Facebook, que o ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) “está bastante avançado”. Segundo o presidente, “todos os países concordam com a nossa entrada”.Mais cedo, durante a cerimônia de comemoração dos 200 ...

Leia mais...

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

18-07-2019

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

O dólar registrou leve desvalorização nas últimas semanas. Segundo analistas, a queda é consequência do avanço da reforma da Previdência e o início da reforma tributária, no Congresso.Muitos brasileiros acreditam que com a aprovação das medidas, o real vá se valorizar cada vez mais. Porém, de acordo com o economista e sócio-diretor da Macrosector C...

Leia mais...

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

18-07-2019

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

Nesta quinta-feira, dia 18, a Agência Nacional de Transportes Terrestres divulgou uma nova tabela de fretes, que muda o cálculo do preço mínimo e traz mudanças na fiscalização, infrações e penalidades. As multas variam de R$ 550 a R$ 10,5 mil.De acordo com o comentarista Benedito Rosa, o tabelamento causa impacto negativo no agronegócio, por ser um...

Leia mais...

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

18-07-2019

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) mostra a importância de adequar a sela para o bem estar do cavalo e do cavaleiro. Os alunos que fazem parte da pesquisa estão avaliando a forma adequada da utilização para os animais. Eles usam um equipa...

Leia mais...

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

18-07-2019

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

Os preços da soja no Brasil caíram mais R$ 0,50 nesta quinta-feira, dia 18, sendo a segunda queda consecutiva. A quarta sessão seguida de baixas na Bolsa de Chicago e a desvalorização do dólar pressionaram as cotações, segundo a Safras & Mercado. “O volume de negócios foi pequeno. Os vendedores seguem ausentes com o cenário desfavorável de bolsa e ...

Leia mais...

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

18-07-2019

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

Um levantamento feito pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) mostrou que em junho o preço médio do café subiu 11% em algumas regiões produtoras do Brasil quando comparado com o mês anterior. Apesar dessa elevação, os produtores rurais continuam operando com margens negativas.Maciel Silva, coordenador de produção agríco...

Leia mais...

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

18-07-2019

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta, dia 18, com baixa de 0,87%, sendo negociado a R$ 3,727 para compra e a R$ 3,729 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,764 e a máxima de R$ 3,724. Fonte Canal Rural

Leia mais...