18 Maio 2019

Embrapa: sêmen refrigerado eleva taxas de prenhez em bovinos

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Pesquisa realizada pela Embrapa Pantanal, com participação da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), constatou aumento de dez pontos percentuais na taxas de prenhez ao utilizar sêmen refrigerado no lugar de congelado na inseminação artificial bovina. “Ou seja, em vez de atingir 50% de prenhez, que era o previsto, chegamos a 60%, obtendo 20% de bezerros a mais com essa técnica”, conta a pesquisadora Juliana Corrêa.

As primeiras pesquisas coletaram o sêmen de três touros melhoradores em uma propriedade próxima a Corumbá (MS) e o levaram, refrigerado a 5ºC, de avião a uma fazenda o Pantanal do Paiaguás, no mesmo estado, para usá-lo na inseminação das fêmeas 24 horas após a coleta.

O estudo comparou cerca de 400 bovinos sob essas condições; outras 400 vacas foram inseminadas com protocolos regulares, utilizando sêmen congelado dos mesmos animais. “Tivemos 49,9% de prenhez com o congelado e 59,9% com o refrigerado. É um número bem significativo”, atesta a cientista da Embrapa.

De acordo com Corrêa, o sêmen refrigerado é colhido, diluído e mantido a uma temperatura de 5ºC até o momento da inseminação. Já o congelado, aplicado frequentemente em biotécnicas como a inseminação artificial em tempo fixo (IATF), é colhido e mantido a -196°C até seu uso.

Para a pesquisadora, o aumento das taxas de prenhez obtidas com o sêmen refrigerado ocorre pela preservação da membrana plasmática do espermatozoide, que sofre variações menores de temperatura em relação ao congelado – aumentando, assim, sua viabilidade.

Para contornar o problema, a equipe passou a investigar a viabilidade do sêmen refrigerado. O desafio envolveu a determinação da temperatura em que o sêmen deveria ser mantido, por quanto tempo poderia ser conservado após a coleta e outros fatores.

A cientista esclarece que a utilização do sêmen refrigerado requer um profissional qualificado, assim como o trabalho com outras biotécnicas aplicadas nos rebanhos bovinos. “É um nicho de mercado para o veterinário de campo que faz essa IATF, por exemplo. Ele já vai estar na fazenda para a inseminação; se treinar para manipular o sêmen dessa maneira, pode coletar o material, agregar valor ao seu trabalho e ainda aumentar a taxa de prenhez do rebanho que atender”, recomenda.

hbspt.cta.load(5130076, '73eecd4b-3f9f-4c4c-8ba1-49eb50e12b94', {});

Logística também é um fator importante, mas a pesquisadora assegura que o uso do sêmen refrigerado demanda poucas exigências para sua efetividade. Prova disso foi o sucesso da sua aplicação na região do Pantanal, que por vezes oferece dificuldade de acesso às propriedades e aos animais em função da grande extensão das fazendas. “Uma vantagem da técnica é que, como você não congela o material, não temos as desvantagens do descongelamento. Tiramos as palhetas da caixa, que chegaram a 5ºC, e já montamos o aplicador. Não colocamos na água para descongelar. Por isso, o processamento é mais simples.”

Corrêa frisa os cuidados de manuseio da caixa com o material, pois ele pode sofrer choque térmico durante a abertura. “Quando abrimos aquela caixa, ela já vai de 5ºC para 15ºC”, revela. Ela ressalta ainda a importância de se trabalhar com touros melhoradores nesse processo. “Não queremos usar o sêmen refrigerado de qualquer animal. Já que o produtor paga mais caro pelo touro melhorador (…), compensa fazer a IATF com esse sêmen para aumentar a prenhez e ter mais chances de difundir esse material genético ao mesmo tempo, tendo maiores vantagens no retorno do investimento e na qualidade dos animais que ele vai produzir.”

As pesquisas com a equipe da Embrapa Pantanal focam, agora, na relação entre a longevidade do período de resfriamento e as taxas de prenhez. Comparando sêmens com 24 e 48 horas de resfriamento, a equipe não notou diferenças significativas nos resultados. “Isso é muito bom pois mostra que, se usarmos o sêmen em até 48 horas depois de ser processado, manteremos a prenhez”, comemora.

Já os experimentos realizados durante a estação de monta 2018/2019 vão além. “Estamos avaliando o intervalo de 72 horas para ver em que momento essa taxa cai e quando ela fica igual à obtida com o congelado. Essa informação é essencial para aumentar o uso do sêmen refrigerado, pois facilitaria sua logística.”


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Desesperados, produtores de arroz fazem apelo ao governo

26-06-2019

Desesperados, produtores de arroz fazem apelo ao governo

Como se não bastasse a quebra de safra que diminuiu a produção de arroz, os produtores do Rio Grande do Sul sofrem com preços baixos. A situação do setor vai de mal a pior. Sem incentivo fiscal e com custos muito diferentes dos concorrentes do Mercosul, o agricultor Ademar Kochenborger, de Cachoeira do Sul (RS), fez um apelo ao governo.O presidente...

Leia mais...

Acordo comercial entre Mercosul e Europa deve ser fechado em breve

26-06-2019

Acordo comercial entre Mercosul e Europa deve ser fechado em breve

Após 20 anos de negociações, o acordo entre Mercosul e União Europeia está perto de ser fechado. O comentarista Benedito Rosa explica o porquê do acordo ter demorado tanto. Para ele, seria uma oportunidade boa de integração produtiva, que auxiliaria nas reformas domésticas para aumento positivo da competitividade. Fonte Canal Rural

Leia mais...

Veja como devem se comportar os preços do milho no Brasil

26-06-2019

Veja como devem se comportar os preços do milho no Brasil

A analista Amaryllis Romano explica o motivo dos preços do milho estarem travados no mercado físico. A especialista também comenta como as cotações do grão devem se comportar diante da alta na demanda mundial, gerada pela quebra da safra americana. Fonte Canal Rural

Leia mais...

Custo de produção da soja sobe 12% a cada ano, aponta Fecoagro

26-06-2019

Custo de produção da soja sobe 12% a cada ano, aponta Fecoagro

O custo de produção da soja subiu pelo menos 61% nos últimos cinco anos, o que representa aumento de 12% a cada ano, aponta o levantamento feito pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro). De acordo com o estudo, a rentabilidade do sojicultor na safra 2019/2020 será de R$ 870 por hectare. O presidente da entidade ...

Leia mais...

Clima nos EUA determina 2ª baixa consecutiva em Chicago

26-06-2019

Clima nos EUA determina 2ª baixa consecutiva em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira com preços mais baixos. O mercado caiu pela segunda sessão consecutiva, pressionado pelo clima favorável à finalização do plantio nos Estados Unidos. Os agentes também buscam posicionamento frente aos dados do Departamento de Agricultura dos Es...

Leia mais...

Dólar fecha com leve baixa, cotado a R$ 3,8460

26-06-2019

Dólar fecha com leve baixa, cotado a R$ 3,8460

O dólar comercial encerrou a sessão desta quarta, dia 26, em baixa de 0,12%, negociado a R$ 3,8460 para a compra e a R$ 3,8480 para a venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,8590 e a mínima de R$ 3,8350. Fonte Canal Rural

Leia mais...

Friboi bate recorde no transporte de carne bovina congelada via ferrovia

26-06-2019

Friboi bate recorde no transporte de carne bovina congelada via ferrovia

A Friboi, unidade de negócios de carne bovina da JBS, registrou em maio recorde no transporte do produto congelado via modal ferroviário. Conforme a área logística da empresa, foram movimentados 80% mais contêineres de exportação na comparação com o mesmo mês do ano passado.No acumulado do ano, quando comparado ao mesmo período de 2018, o crescimen...

Leia mais...

Milho: consultoria estima quebra de 4 milhões de hectares na área dos EUA

26-06-2019

Milho: consultoria estima quebra de 4 milhões de hectares na área dos EUA

Analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal acreditam que a área semeada com milho nos Estados Unidos na temporada 2019/2020 vai ser estimada em 35,2 milhões hectares, contra os 37,5 milhões hectares projetados em março pelos XX. Na sexta-feira, dia 28, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulga seu relatório de área plantad...

Leia mais...

Previsão de geada no Brasil faz preço do café subir R$ 20 em um dia

26-06-2019

Previsão de geada no Brasil faz preço do café subir R$ 20 em um dia

Os preços do café no Cerrado e no Sul de Minas Gerais subiram R$20 em um dia. O motivo da alta está relacionada a problemas climáticos e ao atual cenário internacional de grão, segundo apontou o analista de mercado da INTL FCStone, Fernando Maximiliano. “Um movimento atípico na bolsa de Nova York, nesta terça-feira, dia 25, o contrato negociado par...

Leia mais...