11 Junho 2019

Congresso aprova crédito extra de R$ 248,9 bi por unanimidade

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Deputados e senadores aprovaram nesta terça-feira, dia 11, em sessão do Congresso Nacional, o projeto que concede ao Executivo autorização para quitar, por meio de operações de crédito, despesas correntes de R$ 248,9 bilhões. A matéria segue para sanção presidencial.

Segundo a equipe econômica do governo, a autorização do Congresso para o crédito extra é fundamental para garantir o pagamento de subsídios e benefícios assistenciais, sem descumprir a chamada regra de ouro, que impede o governo de se endividar para pagar despesas correntes, como salários. A votação foi possível após acordo entre os partidos e o governo federal. Somente nesta terça o texto foi aprovado na Comissão Mista de Orçamento e liberado para votação no plenário do Congresso.

A aprovação traz alívio ao governo, que se viu sob risco de precisar suspender pagamentos a beneficiários do BPC, concedido a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. O dinheiro autorizado para essa despesa acabaria no fim deste mês. Além disso, o anúncio do Plano Safra 2019/2020 estava travado porque não era possível avançar sem antes autorizar o pagamento dos subsídios do programa – que estavam até então condicionados ao crédito apreciado nesta terça.

Por outro lado, a medida só resolve o problema neste ano. O próprio governo já projeta que haverá rombos na regra de ouro todos os anos até 2022, o que, nas regras atuais, o obrigará a recorrer novamente à autorização especial do Congresso – que terá poder de barganha pelos votos.

Entre as demandas dos parlamentares estava a derrubada de quatro vetos presidenciais, que trancavam a pauta de votação. Além disso, parlamentares negociaram o retorno de repasses de R$ 1 bilhão para o Programa Minha Casa, Minha Vida; de R$ 330 milhões para bolsas de pesquisa científica; e de R$ 550 milhões para obras da transposição do Rio São Francisco.

Outro ponto reivindicado pelos congressistas, e garantido pelo acordo, segundo a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hassalmann (PSL-SP), vai assegurar que as universidades e os institutos federais tenham R$ 1 bilhão liberados e, assim, não correrão risco de ter as atividades básicas suspensas neste ano.

Entre os vetos derrubados nesta terça-feira por deputados e senadores está o dispositivo que dispensa a pessoa com HIV/Aids aposentada por invalidez de realizar reavaliação pericial. Atualmente, a Lei de Benefícios da Previdência Social (8.213/91) já permite que o segurado aposentado por invalidez seja convocado para avaliação das condições que motivaram a aposentadoria, concedida judicial ou administrativamente.

Os parlamentares também derrubaram o veto a trechos do projeto de lei de conversão da Medida Provisória 843/18, que isenta do pagamento de IOF e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na compra de carros híbridos ou elétricos por parte de taxistas e pessoas com deficiência.

Congressistas derrubaram veto para permitir às fundações de apoio de universidades públicas e de centros de pesquisa gerirem os novos fundos patrimoniais criados pela MP 851/18. Esses fundos poderão ser abastecidos com recursos privados para projetos específicos.

Também foi rejeitado o veto ao Projeto de Lei 1321/19 para evitar que os partidos tenham de devolver ao Tesouro Nacional as doações ou contribuições feitas em anos anteriores por servidores públicos que exerçam função ou cargo público de livre nomeação e exoneração, desde que filiados a partido político.

Deputados e senadores mantiveram o veto em relação a dispositivo do Projeto de Lei 10.431/18, que determinava ao Executivo a adoção de procedimento célere, sigiloso e preferencial para internalizar resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas com sanções acerca de bens que financiam o terrorismo e pessoas envolvidas nesse tipo de crime. Para o governo, o trecho era contraditório com outro dispositivo da lei.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

18-07-2019

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

O economista Alexandre Cabral afirma que, após a aprovação da reforma da Previdência, o governo deve lançar novas medidas para estimular a economia. Ele também comenta a queda na cotação do dólar, diante de um cenário externo otimista. “Esse otimismo gera expectativa de quedas mais rápidas, com juros mais baixos, tendo boas consequências na economi...

Leia mais...

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

18-07-2019

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei 348/2019, que pode suspender o uso de cães durante a caça de javalis. O texto é de autoria do deputado federal Ricardo Izar (PP-SP). A medida visa não abrir precedentes para maus-tratos aos animais em caçadas.O caçador de javalis Mário Quinichala afirma que o impacto da caça sem cães são muito negati...

Leia mais...

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

18-07-2019

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, dia 18, durante transmissão ao vivo pelo Facebook, que o ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) “está bastante avançado”. Segundo o presidente, “todos os países concordam com a nossa entrada”.Mais cedo, durante a cerimônia de comemoração dos 200 ...

Leia mais...

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

18-07-2019

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

O dólar registrou leve desvalorização nas últimas semanas. Segundo analistas, a queda é consequência do avanço da reforma da Previdência e o início da reforma tributária, no Congresso.Muitos brasileiros acreditam que com a aprovação das medidas, o real vá se valorizar cada vez mais. Porém, de acordo com o economista e sócio-diretor da Macrosector C...

Leia mais...

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

18-07-2019

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

Nesta quinta-feira, dia 18, a Agência Nacional de Transportes Terrestres divulgou uma nova tabela de fretes, que muda o cálculo do preço mínimo e traz mudanças na fiscalização, infrações e penalidades. As multas variam de R$ 550 a R$ 10,5 mil.De acordo com o comentarista Benedito Rosa, o tabelamento causa impacto negativo no agronegócio, por ser um...

Leia mais...

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

18-07-2019

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) mostra a importância de adequar a sela para o bem estar do cavalo e do cavaleiro. Os alunos que fazem parte da pesquisa estão avaliando a forma adequada da utilização para os animais. Eles usam um equipa...

Leia mais...

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

18-07-2019

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

Os preços da soja no Brasil caíram mais R$ 0,50 nesta quinta-feira, dia 18, sendo a segunda queda consecutiva. A quarta sessão seguida de baixas na Bolsa de Chicago e a desvalorização do dólar pressionaram as cotações, segundo a Safras & Mercado. “O volume de negócios foi pequeno. Os vendedores seguem ausentes com o cenário desfavorável de bolsa e ...

Leia mais...

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

18-07-2019

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

Um levantamento feito pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) mostrou que em junho o preço médio do café subiu 11% em algumas regiões produtoras do Brasil quando comparado com o mês anterior. Apesar dessa elevação, os produtores rurais continuam operando com margens negativas.Maciel Silva, coordenador de produção agríco...

Leia mais...

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

18-07-2019

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta, dia 18, com baixa de 0,87%, sendo negociado a R$ 3,727 para compra e a R$ 3,729 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,764 e a máxima de R$ 3,724. Fonte Canal Rural

Leia mais...