11 Julho 2019

Milho: USDA eleva estimativa para produção e estoques norte-americanos

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou nesta quinta, dia 11, o relatório de oferta e demanda de grãos. A estimativa para a produção norte-americana de milho, na safra 2019/2020, é de 352,44 milhões de toneladas, ajuste positivo frente às 347,49 milhões de toneladas projetadas em junho. O mercado foi pego de surpresa, pois contava com novo corte, que reduziria o volume a 347,49 milhões de toneladas.

Produção 2019/2020

Estoques 2019/2020

Estoques 2018/2019

A safra global 2019/2020 de milho foi estimada em 1,1 bilhão de toneladas, contra 1,09 milhão de toneladas em junho. Os estoques finais da safra mundial 2019/2020 foram projetados em 298,92 milhões de toneladas, contra as 290,52 milhões de toneladas apontadas em junho, enquanto mercado apostava em um número de 290,2 milhões de toneladas.

Para a safra 2018/2019 os estoques finais de passagem foram previstos em 328,75 milhões de toneladas, enquanto o mercado estimava estoques de 325 milhões de toneladas.

A estimativa de safra brasileira de milho foi projetada em 101 milhões de toneladas, sem alterações. A Ucrânia teve sua projeção de safra apontada em 34 milhões de toneladas, acima das 33 milhões indicadas em junho. A produção da Argentina deve atingir 50 milhões de toneladas, sem alterações ante junho. A África do Sul teve a safra estimada em 14 milhões de toneladas, sem alterações. A China teve sua estimativa de produção mantida em 254 milhões de toneladas.

Para a temporada 2018/2019, o USDA elevou a estimativa de safra do Brasil para 101 milhões de toneladas, acima das 100,9 milhões esperadas pelo mercado. Já a safra da Argentina foi indicada em 51 milhões de toneladas, enquanto o mercado esperava volume de 49,2 milhões de toneladas.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

18-07-2019

Governo deve anunciar várias medidas após reforma, diz economista 

O economista Alexandre Cabral afirma que, após a aprovação da reforma da Previdência, o governo deve lançar novas medidas para estimular a economia. Ele também comenta a queda na cotação do dólar, diante de um cenário externo otimista. “Esse otimismo gera expectativa de quedas mais rápidas, com juros mais baixos, tendo boas consequências na economi...

Leia mais...

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

18-07-2019

Javali: caçador critica projeto de lei que proíbe uso de cães na atividade 

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei 348/2019, que pode suspender o uso de cães durante a caça de javalis. O texto é de autoria do deputado federal Ricardo Izar (PP-SP). A medida visa não abrir precedentes para maus-tratos aos animais em caçadas.O caçador de javalis Mário Quinichala afirma que o impacto da caça sem cães são muito negati...

Leia mais...

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

18-07-2019

Bolsonaro: Ingresso do Brasil na OCDE está bastante avançado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, dia 18, durante transmissão ao vivo pelo Facebook, que o ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) “está bastante avançado”. Segundo o presidente, “todos os países concordam com a nossa entrada”.Mais cedo, durante a cerimônia de comemoração dos 200 ...

Leia mais...

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

18-07-2019

Dólar a R$ 3,50? Economistas comentam a tendência para o câmbio

O dólar registrou leve desvalorização nas últimas semanas. Segundo analistas, a queda é consequência do avanço da reforma da Previdência e o início da reforma tributária, no Congresso.Muitos brasileiros acreditam que com a aprovação das medidas, o real vá se valorizar cada vez mais. Porém, de acordo com o economista e sócio-diretor da Macrosector C...

Leia mais...

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

18-07-2019

Tabela de frete: Saiba onde o produtor vai gastar mais

Nesta quinta-feira, dia 18, a Agência Nacional de Transportes Terrestres divulgou uma nova tabela de fretes, que muda o cálculo do preço mínimo e traz mudanças na fiscalização, infrações e penalidades. As multas variam de R$ 550 a R$ 10,5 mil.De acordo com o comentarista Benedito Rosa, o tabelamento causa impacto negativo no agronegócio, por ser um...

Leia mais...

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

18-07-2019

Mangalarga marchador: pesquisa inédita analisa importância de selas personalizadas

Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) mostra a importância de adequar a sela para o bem estar do cavalo e do cavaleiro. Os alunos que fazem parte da pesquisa estão avaliando a forma adequada da utilização para os animais. Eles usam um equipa...

Leia mais...

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

18-07-2019

Preço da soja tem mais um dia de queda no Brasil e recua R$ 0,50

Os preços da soja no Brasil caíram mais R$ 0,50 nesta quinta-feira, dia 18, sendo a segunda queda consecutiva. A quarta sessão seguida de baixas na Bolsa de Chicago e a desvalorização do dólar pressionaram as cotações, segundo a Safras & Mercado. “O volume de negócios foi pequeno. Os vendedores seguem ausentes com o cenário desfavorável de bolsa e ...

Leia mais...

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

18-07-2019

Preço do café sobe 11% mas produtor ainda trabalha com margem negativa

Um levantamento feito pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) mostrou que em junho o preço médio do café subiu 11% em algumas regiões produtoras do Brasil quando comparado com o mês anterior. Apesar dessa elevação, os produtores rurais continuam operando com margens negativas.Maciel Silva, coordenador de produção agríco...

Leia mais...

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

18-07-2019

Dólar fecha com baixa de 0,87%, cotado a R$ 3,729 para venda

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta, dia 18, com baixa de 0,87%, sendo negociado a R$ 3,727 para compra e a R$ 3,729 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,764 e a máxima de R$ 3,724. Fonte Canal Rural

Leia mais...