12 Julho 2019

Grãos: após 9 anos de alta, renda de produtor deve recuar

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Apesar das estimativas apontarem que o Brasil pode ter neste ano a maior safra de grãos da história, a receita dos produtores deve encolher. Depois de ter crescido quase 20% em 2018, embalada pelas exportações para a China, a renda nominal agrícola deve ter queda de 0,16%, segundo projeções de analistas.

Ainda que pequena, a mudança de trajetória é simbólica. Se confirmada, será o primeiro recuo desde 2010. Nesta quinta-feira, dia 11, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou que a safra de grãos 2018/2019 deve atingir 240, 7 milhões de toneladas, superando o recorde anterior de 237,6 milhões de toneladas da safra 2016/2017.

Produtores alegam que operam com margens apertadas, especialmente por causa do tabelamento do frete, da alta do câmbio e da queda dos preços internacionais dos grãos. Entre algodão, arroz, feijão, milho, soja e trigo, a renda agrícola deve somar R$ 244,9 bilhões este ano, segundo projeções da consultoria MacroSector. “Houve queda de preços no mercado internacional, sobretudo da soja, e a economia global está enfraquecendo”, afirma Fabio Silveira, sócio da MacroSector, que calculou a renda do setor.

Descontada a inflação, a perda de renda será ainda maior que a prevista até agora, diz ele. A soja responde por mais da metade da receita de grãos e é um dos pilares da balança comercial do país. A produção deste ano já foi 4,5% inferior a de 2018, segundo o IBGE.

Diante desse cenário, os produtores estão inseguros em relação aos preparativos para o plantio da próxima safra no Centro-Sul, a partir de setembro. “A situação é bem desconfortável e o produtor de soja vai trabalhar no fio da navalha este ano”, afirma Ilson José Redivo, presidente do Sindicato Rural de Sinop (MT), que representa 350 agricultores. O Mato Grosso é o principal Estado produtor de soja.

A área plantada na safra 2019/2020 deve ter o menor avanço dos últimos anos, de apenas 0,59%, segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). Nas contas da entidade devem ser semeados 9,7 milhões de hectares. O preço da soja está abaixo do patamar histórico e, com a recente valorização do real, deve cair ainda mais.

Após todos os descontos, o produtor de Sinop, por exemplo, recebe entre R$ 62 e R$ 63 por saca. Essa cifra praticamente empata com o custo de produção. Tiago Stefanello Nogueira, presidente do Sindicato Rural de Sorriso (MT), diz que os insumos para a produção da próxima safra subiram entre 10% e 15% em relação a 2018.

A produtividade da soja também pode ser menor. O produtor e distribuidor de sementes do Mato Grosso, Carlos Ernesto Augustin, diz que agricultores estão adquirindo o produto mais barato, sem tratamento, menos resistente e menos produtivo. O fertilizante foi o item que mais encareceu. “Há regiões onde o preço aumentou entre 25% e 30%”, diz Bruno Lucchi, superintendente técnico da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA).

Há muita apreensão para a próxima safra, diz Antonio Chavaglia, presidente da Comigo, cooperativa de produtores de Rio Verde (GO). “O preço dos insumos estourou e as compras estão atrasadas.” Além da alta do câmbio no primeiro semestre, que afetou diretamente o preço do adubo que usa micronutrientes importados, Lucchi destaca o impacto do tabelamento do frete. “A tabela do frete é uma bomba relógio: ela é atualizada pela inflação e gera inflação.”

Embora tenha sido amenizada nos últimos dias, Augustin afirma que a insegurança no campo também ocorre em razão da guerra comercial entre EUA e China. “Há uma pressão grande e o produtor tem medo de plantar e sobrar produto”, diz. “Ninguém vai deixar de plantar, mas fará isso com cautela e da forma mais barata possível”.

hbspt.cta.load(5130076, '73eecd4b-3f9f-4c4c-8ba1-49eb50e12b94', {});


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Preços do boi gordo sobem e arroba chega a R$ 206, diz Safras

20-11-2019

Preços do boi gordo sobem e arroba chega a R$ 206, diz Safras

O mercado do boi gordo registrou novas valorizações nesta quarta-feira, 20, segundo levantamento da consultoria Safras. Em São Paulo, por exemplo, os preços chegaram a R$ 206 por arroba“O movimento de alta ainda não apresenta indícios de perda de força, com os frigoríficos atuando de maneira ávida na compra de gado”, comenta o analista ...

Leia mais...

Governo publica zoneamento agrícola do milho segunda safra

20-11-2019

Governo publica zoneamento agrícola do milho segunda safra

O governo publicou nesta terça-feira, 19, no , portarias estabelecendo o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), da safra 2019/2020, para a cultura de milho de segunda safra. Para as lavouras plantadas nesse ciclo, não serão realizadas alterações nas datas de plantio devido ao atraso da safra de soja em alguns municípios. Vale lembrar que no...

Leia mais...

Entenda os fatores que podem fazer com que o preço do trigo suba no país

20-11-2019

Entenda os fatores que podem fazer com que o preço do trigo suba no país

A elevada umidade sobre as lavouras de trigo no Brasil segue dificultando a evolução da colheita. Além disso, mantém a apreensão quanto à qualidade do cereal produzido.Segundo o analista de Safras & Mercado, Jonathan Pinheiro, indicações seguem apontando uma perda de produtividade menor do que o esperado, porém, com grande parcela de trigo com ...

Leia mais...

EUA devem se posicionar sobre embargo à carne brasileira em breve

20-11-2019

EUA devem se posicionar sobre embargo à carne brasileira em breve

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reuniu-se nesta quarta-feira, 20, com o secretário da Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue. Eles conversaram sobre o embargo à carne bovina in natura do Brasil. De acordo com a ministra, o governo americano está finalizando a análise dos dados que o Brasil enviou e deve dar um posicionamento em al...

Leia mais...

Ministério da Agricultura estima VBP do agro de 2019 em R$ 609,5 bilhões

20-11-2019

Ministério da Agricultura estima VBP do agro de 2019 em R$ 609,5 bilhões

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2019 está estimado em R$ 609,5 bilhões, com base em dados de outubro. O resultado é 1,7% maior do que o de 2018, que foi de R$ 599,4 bilhões.Na estimativa, as lavouras chegam a R$ 399,9 bilhões e a pecuária, R$ 209,5 bilhões. O valor da pecuária foi elevado a 6,6%, enquanto que as lavouras tiveram uma...

Leia mais...

Soja: preços caem em Chicago, mas seguem acima de US$ 9 por bushel

20-11-2019

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta quarta-feira, 20, com fecharam com preços mais baixos, mas ainda acima dos US$ 9 por bushel. O mercado não encontrou fatores suficientes para sustentar o movimento de recuperação.Após tantos meses de imbróglio, o mercado se mostra cético sobre um possível acordo entre os Estad...

Leia mais...

Sojicultor aposta em inoculação no sulco e consegue aumento de produtividade

20-11-2019

Sojicultor aposta em inoculação no sulco e consegue aumento de produtividade

Os produtores de Capão Bonito, no interior de São Paulo, não abrem mão da inoculação e da coinoculação das sementes de no sulco de plantio. Com isso, eles conseguiram aumentar a produtividade em até 10% por hectare.Olhando as lavouras recém emergidas não dá para notar, mas junto com as sementes, no sulco de plantio, também foram colocadas duas bac...

Leia mais...

Ricardo Salles anuncia pagamento por serviços ambientais na Amazônia

20-11-2019

Ricardo Salles anuncia pagamento por serviços ambientais na Amazônia

O ministro do Meio Ambiente, , anunciou nesta quarta-feira, 20, um plano com diversas ações para incentivar a preservação da Amazônia. Em entrevista coletiva, ele afirmou que um dos pontos que o governo federal pretende trabalhar é o pagamento por serviços ambientais prestados. Ele considerou a medidacomo uma espécie de ‘monetização. “(Querem...

Leia mais...

‘Cobrança de energia solar pela Aneel vai contra discurso do governo’

20-11-2019

A proposta da, que pretende taxar a energia solar, é vista pelo comentarista do Canal Rural Miguel Daoud como absurda. “Se tratando de energia, isso é absurdo porque nós estamos vendo vários discursos do Paulo Guedes (Ministro da Economia) que quer reduzir em 40% o gás e que isso implementaria o crescimento do Brasil já que diminui o Custo-Brasil, ...

Leia mais...