11 Outubro 2019

Aftosa: Paraná assina na terça instrução que proíbe vacina no estado

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O governo do Paraná avalia que a assinatura da Instrução Normativa (IN) que proíbe a comercialização, distribuição e uso da vacina contra a febre aftosa no estado é o primeiro passo do processo para retirar a vacinação contra a doença. A IN será assinada na terça-feira, 15, em Curitiba com a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

“Esta é uma conquista importante que trará ganhos para o setor”, disse, em nota, o presidente da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), José Roberto Ricken.

Conforme a Ocepar, a medida reforça o trabalho para que o Paraná obtenha o reconhecimento de área livre de febre aftosa sem vacinação junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2021, o que anteciparia em dois anos a meta do Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa (Pnefa).

A entidade lembra que as três principais cadeias de proteína animal (aves, suínos e bovinos) têm um peso significativo na economia do estado. Em 2018, o Valor Bruto de Produção (VBP) do frango atingiu R$ 14,43 bilhões, ou 16,1% do faturamento da produção agropecuária paranaense, de acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral).

No mesmo ano, a suinocultura contabilizou R$ 3,57 bilhões, enquanto a bovinocultura outros R$ 3,79 bilhões, ambas as cadeias com cerca de 4% de participação no Valor Bruto da Produção agropecuária.

“Com o reconhecimento de Área Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação, esses valores tendem a aumentar significativamente, com o acesso a mercados que pagam mais”, disse a Ocepar. “Ampliação do comércio mundial de carnes produzidas pelo Paraná, pelo acesso aos mercados que não importam de quem vacina; esse novo status sanitário colocará o Paraná ao lado dos principais países exportadores de alimentos, além de simplificar os requisitos de obtenção de certificado sanitário e licenças de exportação junto aos principais mercados compradores.”


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Arroba do boi gordo sobe até R$ 2 e preços da carne bovina batem recorde

14-11-2019

Arroba do boi gordo sobe até R$ 2 e preços da carne bovina batem recorde

A arroba do boi gordo segue com preços em alta no mercado físico, segundo a consultoria Safras. “Os frigoríficos continuam encontrando grande dificuldade na composição de suas escalas de abate, com um quadro de oferta restrita bastante dominante”, comenta o analista Allan Maia.Segundo o especialista, chama atenção a disputa por animais ...

Leia mais...

Produtor monitora evolução das lavouras de soja pelo celular

14-11-2019

Produtor monitora evolução das lavouras de soja pelo celular

Em Rio Brilhante, centro-norte de Mato Grosso do Sul, a tecnologia vem sendo usada para amenizar o impacto das estiagens nas lavouras de , que são mais comuns na região. Com a ajuda do celular dá para acompanhar, a cada semana, como está o desenvolvimento da lavoura e entender o que está dando errado e fazer a correção em tempo.É a terceira safra s...

Leia mais...

Ciclone extratropical provoca chuvas nas regiões Sul e Sudeste

14-11-2019

Ciclone extratropical provoca chuvas nas regiões Sul e Sudeste

A expectativa da formação de um ciclone extratropical em alto mar deve canalizar umidade da Amazônia e reforçar a umidade na região Sul e Sudeste do Brasil nos próximos dias. A chuva se espalha por todas as áreas produtoras de café, com acumulados em torno de 60 mm até o final de semana no Norte do Paraná e São Paulo. Também deverá chover de forma ...

Leia mais...

Aves: EUA poderão vender US$ 1 bilhão por ano à China

14-11-2019

Aves: EUA poderão vender US$ 1 bilhão por ano à China

O representante Comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, comemorou a decisão de China de suspender a proibição de importação de carne de aves americana. “Esta é uma ótima notícia para os agricultores da América e para os consumidores da China”, disse, em nota divulgada há pouco.Segundo Lighthizer, com o fim do embargo, exportado...

Leia mais...

Dólar volta a fechar no segundo maior valor desde criação do real

14-11-2019

Em um dia de oscilações no mercado financeiro, a moeda norte-americana voltou a fechar no segundo maior nível da história. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira, 14, vendido a R$ 4,193, com alta de R$ 0,006 (0,15%). A divisa está no segundo maior valor desde a criação do real, só perdendo para a cotação de R$ 4,196 registrada em 13 de setemb...

Leia mais...

Encontro do Brics trouxe mensagem sobre sustentabilidade no setor agrícola

14-11-2019

Encontro do Brics trouxe mensagem sobre sustentabilidade no setor agrícola

Reunidos durante a XI Cúpula do Brics, os chefes de Estado dos cinco países aprovaram a nesta quinta-feira (14) a Declaração de Brasília, com as principais decisões do grupo. Na área da agricultura, o documento reconhece a importância da cooperação entre os países e da gestão sustentável dos recursos naturais e destaca que o comércio no bloco deve ...

Leia mais...

Soja: Chicago atinge menor nível desde 8 de outubro mas reage e fecha em alta

14-11-2019

Soja: Chicago atinge menor nível desde 8 de outubro mas reage e fecha em alta

 A soja fechou esta quinta-feira, 14, com preços mais altos na Bolsa de Chicago. Segundo a consultoria Safras, mais cedo, os contratos futuros atingiram o menor nível desde 8 de outubro, pressionados pelas incertezas sobre um possível acordo entre China e Estados Unidos.“Outro fator de pressão continua sendo a previsão de chuvas no Brasi...

Leia mais...

Fundersul: governo de Mato Grosso do Sul aumenta imposto rodoviário

14-11-2019

O governo de Mato Grosso do Sul publicou nesta quinta-feira, 14, no o aumento do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul (). O fundo, criado há 10 anos, é uma medida do governador Reinaldo Azambuja para arrecadar recursos para melhorias nas estradas e rodovias estaduais.Com a publicação, o texto aprovado na úl...

Leia mais...

Real depreciado mantém produtos brasileiros atrativos, diz analista

14-11-2019

O dólar chegou a R$ 4,18 esta semana, segundo maior valor desde a criação do real, perdendo apenas para 13 de setembro de 2018, durante as eleições à Presidência, quando o câmbio bateu R$ 4,19. O diretor da ARC Mercosul, Matheus Pereira, diz que depreciação da moeda brasileira frente à americana torna as commodities brasileiros mais atrativas no me...

Leia mais...