17 Novembro 2019

Soja: São Paulo deve registrar maior aumento de produção do país

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A produção de soja em São Paulo tem potencial para crescer 21% nesta safra, segundo o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A expedição do Projeto Soja Brasil visitou a região sudoeste do estado para entender o motivo desse grande aumento.

Ano após ano, a soja vem ocupando cada vez mais espaço na propriedade de Marcos Antônio Cattai, em Buri (SP). Antes, o carro chefe era o milho e o feijão, mas o não tem como ignorar uma cultura que rende 80 sacas por hectare, na safra passada.

“A soja nos traz uma garantia de rentabilidade. A gente consegue começar a comercializar antes de plantar, inclusive e hoje virou o melhor produto para se trabalhar. Então ela está só aumentando nas áreas de plantio”, diz Cattai.

A soja vem ganhando espaço, tanto que na estimativa da Conab o estado deve registrar um dos maiores incrementos de produção do país desta safra. A expectativa é de uma produção de 3,6 milhões de toneladas, 21,3% mais que na safra anterior.

A área plantada deve chegar a um 1,1 hectares, crescimento de 11%. O aumento é por conta da conversão de áreas antes ocupadas pela cana-de-açúcar.

“Como é uma cultura de 4 meses, amanhã se tira a soja e se planta milho safrinha. Pode até optar por outra cultura, mas ano que vem irão plantar soja de novo. Vai aproveitando aquelas questões de mercado e não fica amarrado em uma cultura só, como no caso da cana”, afirma o vice-presidente da Aprosoja-SP na região sul, Frederico D’Ávila.

O estado está entre os 5 mais produtivos do país, com média acima de 55 sacas por hectare. No caso do produtor de Buri, o motivo da alta produtividade não é novidade.

“Ele preconiza a correção de solo, está sempre corrigindo, plantando, fazendo análise de solo. Então isso influencia diretamente na produtividade que ele consegue, por isso fica um ponto fora da curva da média nacional”, diz o engenheiro agrônomo, Humberto Barreto Dalcin.

Por enquanto, a preocupação do produtor Cattai é com as chuvas irregulares desta primavera, que devem impactar na colheita, durante o verão.

“A gente sempre tem esperança de colher mais. Mas eu tô preocupado devido as previsões de pouca chuva. E como as minhas áreas são de sequeiro, vamos aguardar para ver quanto conseguirei de produtividade”, afirma.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

O que você precisa saber nesta sexta para começar bem o dia

03-07-2020

Abertura dos mercados: mercado de trabalho surpreende positivamente nos EUA, mas Covid-19 ainda preocupaBoi: atacado começa a reagir com a entrada do mês, diz AgrifattoMilho: colheita lenta e dólar forte sustentam preços no mercado físicoSoja: alta do dólar compensa recuo na Bolsa de ChicagoCafé: sequência de altas é interrompida no exterior e merc...

Leia mais...

Preço do boi gordo padrão China fecha a R$ 225 a arroba, diz Scot

03-07-2020

O mercado do boi gordo em São Paulo fechou a quinta-feira, 2, com estabilidade na comparação com o dia anterior. De acordo com a , a cotação da arroba destinada ao mercado interno está firme em R$ 220 bruto e à vista, a R$ 219,50 livre de Senar e também à vista, e em R$216,50 com descontados o Senar e o Funrural, na mesma condição de pagamento.O bo...

Leia mais...

Meio ambiente: Bolsonaro fará carta em resposta a investidores estrangeiros

03-07-2020

O presidente Jair Bolsonaro decidiu enviar uma carta em resposta direta aos investidores estrangeiros sobre as políticas de meio ambiente do país. A decisão acontece após um para discutir a condução do governo sobre o meio ambiente.Os ministérios do Meio Ambiente, Agricultura, Defesa, Justiça e Itamaraty já se reuniram para levantar dados e, a part...

Leia mais...

Arroz e feijão: inclusão de outros alimentos na dieta do brasileiro preocupa

03-07-2020

Embora a combinação arroz e feijão continue presente na dieta dos brasileiros, há uma tendência de que a população passe a incorporar cada vez mais outros alimentos em suas refeições, revela o Outlook Fiesp 2029, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).Segundo o levantamento, o feijão é cultivado em todos os estados do Brasil e o...

Leia mais...

Nuvem de gafanhotos: Argentina diz que controle químico foi satisfatório

03-07-2020

Segundo relatório divulgado pelo Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Alimentar da Argentina (Senasa), a operação de controle da nuvem de gafanhotos, realizada na manhã da quinta-feira, 2, na região de Sauce, na província de Corrientes, foi considerada satisfatória. Conforme a agência governamental, a aplicação aérea durou 45 minutos, cobrindo ...

Leia mais...

Agricultura familiar: projeto de lei isenta pagamento pelo uso da água

03-07-2020

O projeto de lei 344/20, do deputado Helder Salomão (PT-ES), pretende isentar agricultores familiares e empreendedores familiares rurais da cobrança pelo uso da água, desde que utilizada de maneira racional, conforme regras a serem definidas posteriormente pelo governo federal. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.Segundo o parlamentar, o obj...

Leia mais...

Ciclone bomba: produtores relatam clima de terror com ventania no RS

03-07-2020

“A minha família mora toda no interior e o que se viu ontem foi muito assustador. Minha mãe estava com a minha sobrinha dentro de casa e disse que, sem mais nem menos, veio uma chuva e um vento muito forte. Barulhos que lembram tiros assustaram a todos, mas na verdade eram as telhas sendo levadas”O relato acima é de uma produtora rural que mora na ...

Leia mais...

Nuvem de gafanhotos: ministério treina servidores para combater a praga

03-07-2020

Cerca de 100 técnicos e servidores do Ministério da Agricultura, Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Rio Grande do Sul e Emater do estado receberam nesta quarta-feira, 1º, um treinamento para prevenir e controlar o gafanhoto Schistocerca cancellata, também chamado de espanhol, esperanza e langosta voladora.“...

Leia mais...

Ciclone derruba bananais em SC e produtor tem prejuízo de R$ 1 mi

03-07-2020

O ciclone bomba que atingiu o estado de Santa Catarina nesta terça-feira, 30, causou transtornos na zona rural. Os fortes ventos — que chegaram em média a 150 km/h, de acordo com a Somar Meteorologia — destelharam casas, prejudicaram estruturas de produção e derrubaram plantas.“Não choro, porque não consigo nem chorar”, afirma o produto...

Leia mais...