02 Dezembro 2019

Censo Agropecuário: cooperativas impulsionam produção em Santa Catarina

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

As cooperativas catarinenses do ramo agropecuário foram responsáveis, em 2017, por mais da metade da produção de soja, feijão, arroz, milho e suínos de Santa Catarina. É o que revela um comparativo entre dados do de 2017, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), no mesmo ano. As 51 cooperativas do ramo, por exemplo, contribuíram com 76,59% (1,4 milhão de toneladas) da produção total da soja, destaque na lavoura temporária do Estado em 2017 com 1,9 milhão de toneladas produzidas. 

A cultura do feijão também teve participação expressiva das cooperativas, que foram responsáveis por 87% da produção total, ou seja, 88.483 toneladas das mais 100 mil toneladas do Estado. Em 2017, os agricultores catarinenses ainda produziram 921.634 toneladas de arroz e as cooperativas produziram 66% do total, o equivalente a mais de 607 mil toneladas.  

Censo Agropecuário: produção de soja aumentou 123% em 11 anos

Brasil perdeu quase 13% das fazendas leiteiras entre 2006 e 2017

Para o presidente da Ocesc, Luiz Vicente Suzin, os dados evidenciam a importância das cooperativas para a economia e para a vida da população catarinense. “Em um ano marcado pela crise econômica, estes números mostram a força do cooperativismo catarinense, tido como exemplo no país, e demonstram o resultado de uma atuação técnica e qualificada das cooperativas agropecuárias. Esse trabalho contribui para movimentar a economia, gerando renda, impostos e empregos”, finaliza Suzin.  

O revelou que, em 2017, Santa Catarina tinha o 9º maior faturamento do País no setor agrícola. Dados da Ocesc referentes ao cooperativismo no Estado no mesmo ano mostraram que as cooperativas agropecuárias reuniram 71.771 cooperados, empregando cerca de 40 mil pessoas. Ainda segundo a Organização,  as cooperativas agropecuárias tiveram R$ 20,2 bilhões de receitas, gerando mais de R$ 1,3 bilhões em impostos.  

Pecuária é destaque

Santa Catarina também se destacou na pecuária, tendo produzido o maior número de suínos do País em 2017: 8,4 milhões de cabeças. As cooperativas foram responsáveis pela produção de mais de 5,6 milhões de cabeças, ou seja, 66,51% do total. No período analisado pelo , Santa Catarina ainda foi o quarto maior produtor de leite do Brasil, com cerca de 2,81 bilhões de litros. Deste total, as cooperativas produziram 18,6%, com 523,4 milhões de litros.  

Os dados da produção de milho impactam diretamente na pecuária do estado. Segundo a Síntese Anual da Agricultura de Santa Catarina, pesquisa realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), 96,4% da demanda do grão destina-se ao consumo animal. Destes, 84,3% torna-se alimento de suínos e frangos de corte e o restante vai para galinhas poedeiras, perus e bovinos.  

O mostrou que a produção do grão chegou a cerca de 3 milhões de toneladas em 2017.

Com 1,9 milhões de toneladas, as cooperativas foram responsáveis por 65% da produção total. No entanto, o Estado ainda não consegue suprir toda a demanda. Segundo o estudo da Epagri, Santa Catarina teve que importar mais de 3,31 milhões de toneladas de outros Estados do País e 181,49 mil toneladas de países como Argentina e Paraguai.  

Agropecuário 

Com a primeira edição datada de 1920, o é uma pesquisa nacional realizada a cada 15 anos pelo IBGE e tem o objetivo de obter informações sobre a estrutura dos setores agropecuários, florestais e aquícolas de todo o País. A pesquisa reúne informações sobre as características das propriedades, das produções e dos produtores rurais, identificando o que é produzido na lavoura, na pecuária e na agroindústria.  

A última edição do levantamento, realizada em 2017, constatou que Santa Catarina tinha 6,4 milhões de hectares de estabelecimentos agropecuários, que contemplavam 183 mil propriedades rurais. A pecuária estava presente em 46,8% dessas propriedades e a lavoura temporária em 37,6%. 

 A pesquisa tem como referência o ano-safra (outubro de 2016 a setembro de 2017) e as informações demoraram mais de um ano para serem coletadas. No levantamento de 2017 foram introduzidas novas tecnologias de pesquisa, entre elas, a utilização de imagens de satélites e o uso de coordenadas do endereço e do local de abertura do questionário, possibilitando melhor cobertura do trabalho. As informações partem da assessoria de comunicação interna da Ocesc.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Crédito rural: ‘MP do Agro é ampla, inovadora e segura’, diz consultor

05-12-2019

O relatório da medida provisória 897, conhecida como , foi aprovado pela comissão mista, mas ainda precisa ser votado nos plenários da Câmara e do Senado, o que deve acontecer no início do próximo ano.O texto recebeu 340 emendas. “Finalmente conseguimos apresentar o relatório sem brigar com ninguém e atendendo razoavelmente todos os grupos”, conta ...

Leia mais...

Maranhão: chuva será abaixo da média, mas ainda favorece agricultura

05-12-2019

Maranhão: chuva será abaixo da média, mas ainda favorece agricultura

É muito importante o produtor rural do Matopiba, região que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia estar consciente de que chuva abaixo da média não significa ausência de chuva. A média climatológica para algumas cidades da região é de 200 a 250 milímetros de chuva em dezembro e podemos ter até 80 milímetros abaixo da média.Mesmo ...

Leia mais...

Soja apresenta preços firmes no Brasil com nova alta em Chicago 

05-12-2019

O mercado brasileiro de apresentou preços firmes nesta quinta-feira, refletindo mais uma subida na Bolsa de Chicago para a oleaginosa, a terceira consecutiva. A baixa do dólar, entretanto, limitou o impacto positivo da alta em Chicago. Com os valores avançando, houve moderado ritmo de negócios. Em Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul foram repor...

Leia mais...

Demanda aquecida faz subir preços do frango em São Paulo, diz Cepea

05-12-2019

Demanda aquecida faz subir preços do frango em São Paulo, diz Cepea

Os preços da carne de frango se mantiveram firmes na semana de 27 de novembro a 4 de dezembro, segundo o . No atacado da Grande São Paulo, o frango inteiro resfriado subiu 1,7%, a R$ 5,35 o quilo, em média, na quarta-feira, 4.“Dentre os cortes negociados no atacado paulista, o filé de peito foi o que teve a valorização mais expressiva. O prod...

Leia mais...

Arroba do boi volta a custar menos de R$ 200 no Brasil

05-12-2019

Arroba do boi volta a custar menos de R$ 200 no Brasil

O mercado físico do boi gordo teve preços mais baixos nas principais praças de produção e comercialização do país. “Houve continuação hoje do movimento de correção, enquanto os frigoríficos seguem comprando lotes volumosos mesmo a preços mais baixos”, comenta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.  Segundo ele, ...

Leia mais...

Aprosoja lança vídeo mostrando a produção sustentável de soja no Brasil

05-12-2019

A divulgou nesta semana um vídeo institucional falando da produção brasileira do grão e as práticas que tornam o Brasil o maior produtor de soja sustentável do planeta. “Queremos convidar você para fazer uma viagem para conhecer o Brasil e a importância da soja brasileira. Somos o 5º país em extensão territorial, com mais de 210 milhões de habitan...

Leia mais...

Bolsonaro passa presidência do Mercosul para o Paraguai

05-12-2019

Bolsonaro passa presidência do Mercosul para o Paraguai

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira, 5, que o nível de impostos aplicado à importação de produtos afeta a competitividade e deve ser revisado no âmbito do Mercosul. Ele abriu, no fim da manhã desta quinta-feira, a 55ª Cúpula de Chefes de Estado do e Estados Associados, em Bento Gonçalves, no Vale do Vinhedos, Rio Grande do Sul.Bol...

Leia mais...

Soja: Paraná registra segundo foco de ferrugem-asiática da safra 2019/2020

05-12-2019

Soja: Paraná registra segundo foco de ferrugem-asiática da safra 2019/2020

Uma lavoura de soja cultivada na primeira quinzena de setembro, em Castro (PR), registrou o segundo foco de ferrugem-asiática da safra 2019/2020. O caso foi confirmado pelo nesta quinta-feira, 5. O primeiro foco também se deu no Paraná, em Ubiratã.O site do consórcio irá registrar as ocorrências da doença durante a safra e tem mostrando ainda a pr...

Leia mais...

Vai investir no milho segunda safra? Veja se o tempo vai cooperar

05-12-2019

A meteorologia indica que o próximo ano será de neutralidade climática, o que traz variação no regime de chuvas e na temperatura, segundo a meteorologista Desirée Brandt. Por enquanto, os modelos não mostram o frio chegando mais cedo, mas isso pode mudar. O plantio do grão pode sofrer atrasos, porque a safra de verão acabou sendo afetada pela demor...

Leia mais...