14 Fevereiro 2020

Ministério anuncia quedas de barreiras comerciais com Argentina

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Está previsto para esta sexta-feira, 14, o anúncio de exclusão de algumas barreiras comerciais travadas sobre produtos agropecuários entre Brasil e Argentina. Nesta semana, autoridades do Ministério da Agricultura do Brasil se reuniram com representantes do Ministério da Agricultura da Argentina e do Serviço Nacional de Segurança e Qualidade Alimentar da Argentina (Senasa), em Brasília, para debater as barreiras ao comércio de produtos agrícolas entre os dois países.

“Para diversas questões, chegamos a um bom entendimento. Para outras, nos comprometemos com encaminhamentos”, comentou o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Leite Ribeiro. Na quarta, 12, durante fala à imprensa realizada no Palácio Itamaraty, o ministro das Relações Exteriores e Culto da Argentina, Felipe Solá, chegou a anunciar a queda de 26 barreiras comerciais agrícolas entre os dois países. No entanto, Ribeiro explicou que a eliminação dos impedimentos deve acontecer aos poucos.

“A ministra [Tereza Cristina] deve anunciar os primeiros produtos que perdem as barreiras comerciais nesta sexta-feira. Esse é um primeiro gesto de abertura que gera estímulo para que outros temas caminhem de forma positiva”, salientou o secretário, que preferiu não especificar nem a quantidade de mercadorias a serem noticiadas na data, nem se elas seriam de origem vegetal ou animal.

Orlando Ribeiro apontou que a liberação de barreiras alfandegárias deve acontecer aos poucos. Os dois países pretendem realizar uma espécie de entrega de blocos de mercadorias a cada mês. Alguns acordos ainda dependem de trocas de informações e de cumprimento de compromissos firmados nas negociações.

A Argentina é o principal parceiro comercial do Brasil no Mercosul. Apenas em produtos agropecuários, no ano passado, o Brasil exportou para o país vizinho US$ 1,18 bilhão e importou mais que o dobro, US$ 3,43 bilhões. Segundo o Ministério da Economia, a crise na Argentina foi um dos principais fatores que influenciaram a queda de 20,5% no superávit da balança comercial do país em 2019. Com um saldo final de US$ 46,6 bilhões, o Brasil registrou o pior resultado dos últimos quatros anos.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

‘Retenção de fêmeas influenciará preço da arroba do boi gordo em 2020’

22-02-2020

A aposta que 2020 será o segundo ano consecutivo com retenção de fêmeas, principalmente pelo bom momento dos preços do bezerro. “Quando falamos disso, significa que menos animais irão para o gancho, porque uma categoria participará menos. Isso deve afetar o cenário geral de oferta de carne neste ano”, diz o analista de mercado Hyberville Neto.Para...

Leia mais...

Você viu? Bagres são resgatados na capital de SP após enchente

22-02-2020

São Paulo registrou o segundo dia mais chuvoso de sua história na última semana. A capital paulista viu pontos importantes, como a , alagarem. No dia, 11, quando a água baixou, pesquisadores do Instituto de Pesca tiveram uma surpresa: quatro bagres da espécie clarias gariepinus foram encontrados no Aeroclube de São Paulo.Essa foi a notícia mais lid...

Leia mais...

Soja: veja o que pode mexer com os preços na semana que vem

22-02-2020

A soja teve uma semana de altos e baixos. A posição março de 2020 terminou a sexta-feira, 23, cotada a a US$ 8,90 1/2 por bushel, recuo de 0,36% na semana. De acordo com a consultoria Safras, as fracas exportações dos Estados Unidos ditaram o pregão.Mas o que está por vir na próxima semana? O analista de mercado Gil Barabach elencou os principais p...

Leia mais...

Boi gordo: proximidade do Carnaval reduziu negociações nesta sexta

21-02-2020

O mercado físico do boi gordo teve preços estáveis. O analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, disse que o dia foi extremamente lento em termos de volume negociado, algo que era amplamente esperado diante do Carnaval que começou hoje mesmo em muitas cidades. “Sob o ponto de vista fundamental, fica a expectativa do retorno...

Leia mais...

Boi gordo: proximidade do Carnaval reduziu negociações nesta sexta

21-02-2020

O mercado físico do boi gordo teve preços estáveis. O analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, disse que o dia foi extremamente lento em termos de volume negociado, algo que era amplamente esperado diante do Carnaval que começou hoje mesmo em muitas cidades. “Sob o ponto de vista fundamental, fica a expectativa do retorno...

Leia mais...

Vale a pena tomar crédito rural neste momento? Economista dá dicas

21-02-2020

Os bancos privados respondem por 32% das transações de crédito rural, aponta relatório do Banco Central. A expectativa é que o volume de negócios chegue a R$ 13,7 bilhões até o fim de 2020, com juros variando de 3% a 10,5% ao ano.Com essa facilidade, instituições financeiras de outros países também estão aproveitando o nicho aberto no Brasil e ofer...

Leia mais...

Vale a pena tomar crédito rural neste momento? Economista dá dicas

21-02-2020

Os bancos privados respondem por 32% das transações de crédito rural, aponta relatório do Banco Central. A expectativa é que o volume de negócios chegue a R$ 13,7 bilhões até o fim de 2020, com juros variando de 3% a 10,5% ao ano.Com essa facilidade, instituições financeiras de outros países também estão aproveitando o nicho aberto no Brasil e ofer...

Leia mais...

Milho: com estiagem, cidades do RS já registram perdas de 45% na safra

21-02-2020

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater/RS) divulgou nesta quinta-feira, 20, um relatório de estimativa de perdas e estiagem no estado. O levantamento mostra que o baixo volume de chuvas prejudicou a safra de milho. De acordo com a Emater/RS, a colheita do cereal já prossegue em todas as regiões e praticamente...

Leia mais...

Arroba do boi gordo acima de R$ 200? Veja a tendência para março

21-02-2020

A arroba do boi gordo voltou a subir em fevereiro, após um período mais fraco em janeiro devido à demanda mais enxuta. De acordo com o analista de mercado Leandro Bovo, da , o movimento é comum. “Este mês voltaram as aulas e o mercado começou a ganhar dinâmica. O Carnaval reduz os dias de abate e também apresenta um consumo maior. A demanda melhoro...

Leia mais...