02 Julho 2020

BB promete redução nas taxas bancárias em operações de custeio

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Médios e grandes produtores, correntistas do Banco do Brasil, poderão com um custo efetivo total de operação menor neste Plano Safra. Durante coletiva de imprensa, realizada nesta quarta-feira, 1, o diretor de agronegócios Antônio Carlos Chiarelli confirmou que os custos administrativos e tributários (CAT) do Banco do Brasil serão reduzidos para as operações de custeio. O valor da redução, no entanto, não foi divulgado.

“Já está oficializado junto ao Ministério da Agricultura e ao Tesouro Nacional uma redução do CAT dos programas de custeio de grande e médios produtores. Isso a gente vai ver nos próximos dois dias, a partir da publicação das portarias necessárias. É importante a gente observar a liturgia e a tramitação no âmbito dos ministérios”, pontuou Chiarelli.

A medida foi cobrada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na reunião interministerial de 22 de abril, divulgada pelo Supremo Tribunal Federal. Cristina foi gravada solicitando redução na taxa de juros para o presidente Jair Bolsonaro. “O produtor não consegue aguentar uma taxa de 9%”, disse. Na ocasião, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, foi questionado por Bolsonaro sobre a demanda da chefe da Agricultura.

Na reta final para o lançamento do Plano Safra 20/21 pelo Governo Federal, líderes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) também articularam pela redução das taxas cobradas ao produtor rural no fechamento das operações de crédito. O presidente da frente, deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS) chegou a mencionar que era preciso “acabar com o sócio oculto” do agronegócio.

Os financiamentos feitos pelo banco, neste novo plano agrícola e pecuário, seguirão as taxas de juros anunciadas pelo governo federal: 2,75% a 4% para beneficiários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), 5% para beneficiários do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor (Pronamp) e 6% para demais produtores.

Crédito parametrizado

O vice-presidente de Agronegócio e Governo do Banco do Brasil, João Rabello Junior, anunciou que o Banco do Brasil está finalizando os estudos necessários para a oferta de crédito parametrizado aos produtores rurais. A medida pretende facilitar o acesso ao crédito.

Rabello Junior explicou que o BB possui uma base de dados chamada de Risco Técnico Agropecuário, que tem sido alimentada por mais de 200 agrônomos e assessores técnicos distribuídos em todo o Brasil.

“Eles levantam pra gente, por mesorregião e por tipo de solo, como é a pluviometria, quanto é a produtividade. Nossos cientistas estão nesse momento debruçados nos dados pra que a gente possa, no início da safra, dar ao produtor rural um limite de crédito. Se ele estiver na média da região, o limite de crédito estará estabelecido. Ele não precisará trazer documentação, porque a gente já vai conhecer o que tem ali”, esclareceu Rabello Junior.

Segundo o vice-presidente, apenas produtores que possuem produtividade muito acima da média precisarão fornecer documento comprovatórios para o banco a fim de conseguir acesso a um limite de crédito maior.

Inovações digitais

No lançamento do novo Plano Safra, disponibilizado pelo BB, Rabello Junior também anunciou a estreia de uma nova plataforma de soluções digitais para o produtor rural. No site Broto, os correntistas poderão orçar maquinários e insumos, além de simular plantios e safras.

O vice-presidente reforçou que mais de 80 mil correntistas do banco já podem contratar operações de custeio por meio do aplicativo do BB. No último ano safra, foram registrados mais de 1500 financiamentos fechados de maneira digital. Esses negócios movimentaram cerca de R$ 460 milhões.

Neste Plano Safra, o Banco do Brasil volta a ofertar R$ 103 bilhões em crédito rural aos clientes. No último período, foram utilizados R$92,5 bilhões. Na cerimônia de lançamento transmitida online, na manhã desta quarta-feira, participaram o presidente do BB, a ministra da agricultura e o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Produção do milho segunda safra deve se aproximar de recorde de 73,5 mi de toneladas

07-08-2020

Apesar do atraso do início do plantio e a seca em alguns estados, a produção de milho segunda safra no Brasil deve chegar perto do recorde de 73,5 milhões de toneladas. Os bons preços do grão estimularam o aumento de quase 3% da área plantada, o que acabou compensando as perdas causadas pela estiagem na região Sul.Entre os principais produtores de ...

Leia mais...

Brasil vai pedir à OIE que Rio Grande do Sul vire zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

Nesta semana, o estado passou por uma auditoria para checar se as demandas feitas em janeiro foram atendidas. Na quinta, 6, a superintendente do ministério no Rio Grande do Sul, Helena Rugeri, adiantou que 77% das solicitações foram cumpridas.Além do Rio Grande do Sul, o governo pedirá a certificação do status sanitário para o estado do Paraná e ta...

Leia mais...

Dólar deve chegar a R$ 5,60 até o fim de agosto, aposta Daoud

07-08-2020

O dólar operou em alta ao longo desta semana, de olho novamente nas tensões comerciais entre China e Estados Unidos. No pregão desta sexta-feira, 7, a moeda norte-americana chegou a atingir R$ 5,40.O comentarista do Canal Rural Miguel Daoud afirma que a disputa entre as duas potências econômicas e a queda de juros têm certa influência na alta do dó...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Mourão: Sistemas para monitorar Amazônia usados em apoio ao governo ‘não são os melhores’

07-08-2020

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira, 7, que o Estado brasileiro deve cumprir seu papel de proteção e desenvolvimento da Amazônia, mas que há muito desencontro sobre as informações de desmatamento na região, já que os sistemas de monitoramento, utilizados no apoio às decisões do governo, “não são os melhores” e “se ressentem de...

Leia mais...

Mourão: Sistemas para monitorar Amazônia usados em apoio ao governo ‘não são os melhores’

07-08-2020

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira, 7, que o Estado brasileiro deve cumprir seu papel de proteção e desenvolvimento da Amazônia, mas que há muito desencontro sobre as informações de desmatamento na região, já que os sistemas de monitoramento, utilizados no apoio às decisões do governo, “não são os melhores” e “se ressentem de...

Leia mais...