03 Julho 2020

Apesar de superávit, queda de preços afeta balança comercial de junho

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

As exportações brasileiras, que ainda se mantinham pouco afetadas pela crise mundial provocada pela pandemia do novo coronavírus, tiveram impactos mais claros nos resultados do mês de junho. Os números preliminares foram divulgados nesta quarta-feira, 1º, pelo Ministério da Economia.

A baixa de preços na maioria dos produtos exportados – tanto do agronegócio, da indústria extrativista e da indústria de transformação – causou queda de 12% na arrecadação obtida com exportações em junho deste ano, em comparação com mesmo mês do ano passado. Em junho 2019, as exportações geraram US$ 968,74 milhões de renda, contra US$ 852,97 milhões em junho de 2020.

“Nossas exportações de produtos agropecuários e da indústria extrativista tiveram melhor desempenho relativo vis a vis com produtos de maior valor agregado. Há uma demanda internacional pelo consumo desses produtos. Mesmo com queda de renda, eles [outros países] continuam comprando produtos alimentares. Estamos vivenciando uma safra recorde de grãos e o nosso agronegócio também é muito competitivo. Porém, os nossos resultados estão sendo muito influenciados pela queda vertiginosa dos preços internacionais. Não só de commodities, mas também de produtos de maior valor agregado”, destacou o Secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz.

As importações também tiveram queda de gastos de 27%. Enquanto em junho de 2019 foram investidos US$ 685,72 milhões em compras de produtos internacionais, no mesmo mês deste ano foram despendidos US$ 497,57 milhões. Apesar dessas reduções, a balança comercial de junho de 2020 fechou com superávit de US$ 7,463 bilhões.

Desempenho do agronegócio

No último mês foram exportadas 13,75 bilhões de toneladas de soja, contra 8,55 bi de toneladas no mesmo mês do ano passado. As vendas do grão geraram US$ 4,667 bilhões. Em junho do ano passado, a soma foi de US$2,883 bilhões. O Ministério da Economia não registrou queda no preço de comercialização.

Já o algodão em bruto registro queda de 11,63% na variação de preços por média diária. Foram comercializadas 56,7 milhões de toneladas, em junho de 2020, com renda de US$ 83,6 milhões. No mesmo período de 2019 foram vendidas 64,88 milhões de toneladas com arrecadação de US$ 108,29 milhões.

Outro produto que teve grande redução na variação de preços por média diária foi a carne de ave: queda de 21,84%.  Apesar de terem sido exportadas 48,9 milhões de toneladas a menos em junho deste ano, a arrecadação teve diminuição de US$ 193,45 milhões.

As vendas de soja e carne bovina para a Ásia – excluído o território do Oriente Médio – foram algumas das responsáveis por puxar o superávit da balança comercial de junho de 2020 para cima. As compras de soja, pelo continente, subiram 38,7% e, as de carne bovina, 141,2%.

Mudanças nas classificações

A partir de 1º de julho, o Ministério da Economia divulgará dados da balança comercial tabeladas em acordo com padrões internacionais. Nesse formato, a lista de produtos agropecuários diminui. Carnes bovinas, suínas e de aves, por exemplo, passam a ser enquadradas como mercadorias provenientes da indústria de transformação. Farelos de soja, óleos vegetais e café torrado também passam a fazer parte desta categoria, ao lado de produtos como maquinários agrícolas e pneus de borracha.

Neste sentido, no mês de junho, comparando com igual mês do ano anterior, o desempenho dos setores pela média diária foi de crescimento de US$ 57,49 milhões ( 29,7%) para agropecuária, queda de US$ 54,64 milhões (-26,1%) para indústria extrativa e queda de US$ 118,08 milhões (-21%) em produtos da indústria de transformação.

 

 


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Confira a tendência para o mercado da soja na semana que vem

08-08-2020

A consultoria Safras & Mercado preparou um relatório especial com os principais pontos que podem influenciar os preços da soja na Bolsa de Chicago e, consequentemente, no Brasil. Além da pandemia de Covid-19, que segue no radar do mercado, players também estão de olho nos números da temporada americana e nas tensões entre Estados e China, que p...

Leia mais...

Produção do milho segunda safra deve se aproximar de recorde de 73,5 mi de toneladas

07-08-2020

Apesar do atraso do início do plantio e a seca em alguns estados, a produção de milho segunda safra no Brasil deve chegar perto do recorde de 73,5 milhões de toneladas. Os bons preços do grão estimularam o aumento de quase 3% da área plantada, o que acabou compensando as perdas causadas pela estiagem na região Sul.Entre os principais produtores de ...

Leia mais...

Brasil vai pedir à OIE que Rio Grande do Sul vire zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

Nesta semana, o estado passou por uma auditoria para checar se as demandas feitas em janeiro foram atendidas. Na quinta, 6, a superintendente do ministério no Rio Grande do Sul, Helena Rugeri, adiantou que 77% das solicitações foram cumpridas.Além do Rio Grande do Sul, o governo pedirá a certificação do status sanitário para o estado do Paraná e ta...

Leia mais...

Dólar deve chegar a R$ 5,60 até o fim de agosto, aposta Daoud

07-08-2020

O dólar operou em alta ao longo desta semana, de olho novamente nas tensões comerciais entre China e Estados Unidos. No pregão desta sexta-feira, 7, a moeda norte-americana chegou a atingir R$ 5,40.O comentarista do Canal Rural Miguel Daoud afirma que a disputa entre as duas potências econômicas e a queda de juros têm certa influência na alta do dó...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Mourão: Sistemas para monitorar Amazônia usados em apoio ao governo ‘não são os melhores’

07-08-2020

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira, 7, que o Estado brasileiro deve cumprir seu papel de proteção e desenvolvimento da Amazônia, mas que há muito desencontro sobre as informações de desmatamento na região, já que os sistemas de monitoramento, utilizados no apoio às decisões do governo, “não são os melhores” e “se ressentem de...

Leia mais...