03 Julho 2020

O que você precisa saber nesta sexta para começar bem o dia

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Abertura dos mercados: mercado de trabalho surpreende positivamente nos EUA, mas Covid-19 ainda preocupa

Boi: atacado começa a reagir com a entrada do mês, diz Agrifatto

Milho: colheita lenta e dólar forte sustentam preços no mercado físico

Soja: alta do dólar compensa recuo na Bolsa de Chicago

Café: sequência de altas é interrompida no exterior e mercado físico brasileiro tem poucos negócios

Ministério da Agricultura da Argentina divulga dados sobre desenvolvimento das lavouras do país

Instituto Mato-grossense de Economia Aplicada (Imea) divulga dados sobre desenvolvimento das lavouras no estado

Os dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos surpreenderam positivamente, com criação de vagas maior que a esperada pelos investidores em junho. Porém, o avanço de casos de Covid-19 no país, com novo recorde diário e acima de 50 mil casos, limitou os ganhos e ressaltou a cautela em relação a um novo avanço da doença.

Indicadores de atividade econômica na Europa e na China também foram bastante positivos, projetando  alguma possibilidade de recuperação rápida da produção. Com o feriado desta sexta, 3, nos Estados Unidos, o mercado tende a ficar lento, com menor volatilidade e volume de negócios.

De acordo com a consultoria Agrifatto, o atacado paulista de carne bovina tem reagido com o período sazonal favorável da primeira quinzena do mês. Os preços estão estáveis, mas com pressão de alta, ainda que sem força, com estoques baixos e boa comercialização. Em relação ao boi gordo, a Scot Consultoria registra preços firmes em São Paulo, em R$ 220, bruto e à vista, com o padrão China sendo negociado em até R$ 225.

A lentidão da colheita em algumas regiões produtoras e a força do dólar ante o real têm sustentado as cotações do milho no mercado brasileiro. Além disso, com comercialização antecipada recorde, como apontada pela consultoria StoneX, e com os produtores na expectativa de novas altas, há menor interesse na venda nos patamares atuais.

Os preços da soja permaneceram estáveis na maioria das praças com a alta do dólar compensando o recuo na Bolsa de Chicago. As cotações seguem abaixo de R$ 115, patamar recorde atingido nos dias anteriores após relatório de área e estoques do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Porém, algumas regiões como Dourados (MS) têm conseguido manter os níveis recordes em virtude de demanda firme e dólar forte.

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, o mercado físico brasileiro operou de maneira mais ativa pela manhã  da quinta, 2, com os preços firmes e antes de as cotações no exterior registrarem perdas. Com a queda na Bolsa de Nova York, que interrompeu uma sequência de quatro altas consecutivas, o mercado ficou lento e o preços internos ficaram pressionados.     


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Produção de cachaça mudou para sempre a vida de família em São Paulo

08-08-2020

A história da família Benedetti tem início na Província de Trento, no norte da Itália, em meados da década de 1880. Pressionados pelas transformações socioeconômicas no continente europeu, eles resolvem deixar o país e buscar melhores condições de vida no Brasil, e se estabelecem nas cidades de Amparo e Serra Negra, em São Paulo.A partir de sua che...

Leia mais...

Carne bovina: quase 60% das exportações de julho foram para a China

08-08-2020

As exportações de carne bovina in natura e processada no acumulado do ano até julho soma 1,103 milhão de toneladas, 10% acima das 999.177 toneladas de igual período de 2019, conforme a A receita nesse intervalo cresceu 25%, para US$ 4,7 bilhões.O resultado se deve à China. “No acumulado até julho as compras chinesas que ingressaram pela cida...

Leia mais...

Confira a tendência para o mercado da soja na semana que vem

08-08-2020

A consultoria Safras & Mercado preparou um relatório especial com os principais pontos que podem influenciar os preços da soja na Bolsa de Chicago e, consequentemente, no Brasil. Além da pandemia de Covid-19, que segue no radar do mercado, players também estão de olho nos números da temporada americana e nas tensões entre Estados e China, que p...

Leia mais...

Produção do milho segunda safra deve se aproximar de recorde de 73,5 mi de toneladas

07-08-2020

Apesar do atraso do início do plantio e a seca em alguns estados, a produção de milho segunda safra no Brasil deve chegar perto do recorde de 73,5 milhões de toneladas. Os bons preços do grão estimularam o aumento de quase 3% da área plantada, o que acabou compensando as perdas causadas pela estiagem na região Sul.Entre os principais produtores de ...

Leia mais...

Brasil vai pedir à OIE que Rio Grande do Sul vire zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

Nesta semana, o estado passou por uma auditoria para checar se as demandas feitas em janeiro foram atendidas. Na quinta, 6, a superintendente do ministério no Rio Grande do Sul, Helena Rugeri, adiantou que 77% das solicitações foram cumpridas.Além do Rio Grande do Sul, o governo pedirá a certificação do status sanitário para o estado do Paraná e ta...

Leia mais...

Dólar deve chegar a R$ 5,60 até o fim de agosto, aposta Daoud

07-08-2020

O dólar operou em alta ao longo desta semana, de olho novamente nas tensões comerciais entre China e Estados Unidos. No pregão desta sexta-feira, 7, a moeda norte-americana chegou a atingir R$ 5,40.O comentarista do Canal Rural Miguel Daoud afirma que a disputa entre as duas potências econômicas e a queda de juros têm certa influência na alta do dó...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...