04 Julho 2020

Governo se reunirá com investidores que cobram atenção ao meio ambiente

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Membros do governo se reunirão na próxima semana com investidores estrangeiros, por meio de uma videoconferência, para explicar o que tem sido feito no país com relação à preservação ambiental. No mês passado, 230 investidores estrangeiros, que representam cerca de US$ 16 trilhões em ativos, enviaram uma carta cobrando políticas de combate ao desmatamento, com especial atenção ao bioma Amazônia.

Apesar da carta conter apontamentos de falhas do governo na manutenção da preservação de florestas, interlocutores dizem que a cobrança não foi sentida como um ultimato ou uma ameaça de retirada imediata de investimentos no país. Mesmo assim, nos últimos dias, membros dos ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, Relações Exteriores, Defesa, Justiça e Segurança Pública têm reunido informações para dar uma resposta aos investidores.

No o assunto tem sido tratado no gabinete da ministra Tereza Cristina. Na carta, a agricultura é citada como uma das principais cadeias produtivas prejudicadas com os efeitos do desmatamento. Também são cobradas políticas de conformidade e rastreabilidade de fornecedores que sejam possíveis infratores das leis ambientais.

Interlocutores da pasta afirmam que os trabalhos de fomento ao serviço florestal e implementação do Código Florestal — sancionado em 2012 — farão parte das exposições do ministério com relação à agenda ambiental. O Ministério da Defesa deve destacar os trabalhos de controle e fiscalização realizados pro meio das operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e o Ministério do Meio Ambiente será responsável por apresentar esforços regulatórios.

A cobrança levanta ainda mais expectativas sobre o Plano de Contingência contra Queimadas que deve ser apresentado neste mês pelo Conselho da Amazônia. O grupo de trabalho é liderado pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

No documento, os investidores dizem acompanhar com preocupação o crescimento dos índices de desmatamento e incêndios na Amazônia. “Como investidores, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, proteger a biodiversidade e garantir serviços ecossistêmicos.”, escrevem.

Os autores da carta manifestam preocupação com o impacto que o desmatamento pode causar em empresas que contam com seus investimentos. Eles apontam prejuízos que vão desde o aumento de custos na agricultura até a dificuldade de acesso em mercados internacionais cada vez mais preocupados com as finanças verdes.

Ao fim do documento, os investidores pedem que as empresas “urgentemente” implementem uma política específica de “não-desmatamento” para commodities e suas cadeias produtivas, que incluam prazos determinados para ações. Também é solicitada a criação de um sistema de monitoramento a fim de se verificar a conformidade de um fornecedor à causa ambiental e relatórios anuais que exponham os riscos de desmatamento e os avanços das políticas ambientais implementadas.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Produção do milho segunda safra deve se aproximar de recorde de 73,5 mi de toneladas

07-08-2020

Apesar do atraso do início do plantio e a seca em alguns estados, a produção de milho segunda safra no Brasil deve chegar perto do recorde de 73,5 milhões de toneladas. Os bons preços do grão estimularam o aumento de quase 3% da área plantada, o que acabou compensando as perdas causadas pela estiagem na região Sul.Entre os principais produtores de ...

Leia mais...

Brasil vai pedir à OIE que Rio Grande do Sul vire zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

Nesta semana, o estado passou por uma auditoria para checar se as demandas feitas em janeiro foram atendidas. Na quinta, 6, a superintendente do ministério no Rio Grande do Sul, Helena Rugeri, adiantou que 77% das solicitações foram cumpridas.Além do Rio Grande do Sul, o governo pedirá a certificação do status sanitário para o estado do Paraná e ta...

Leia mais...

Dólar deve chegar a R$ 5,60 até o fim de agosto, aposta Daoud

07-08-2020

O dólar operou em alta ao longo desta semana, de olho novamente nas tensões comerciais entre China e Estados Unidos. No pregão desta sexta-feira, 7, a moeda norte-americana chegou a atingir R$ 5,40.O comentarista do Canal Rural Miguel Daoud afirma que a disputa entre as duas potências econômicas e a queda de juros têm certa influência na alta do dó...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

07-08-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftos...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Cooperativismo em Notícia vai abordar o vazio sanitário da soja em SC

07-08-2020

O Cooperativismo em Notícia deste sábado, 8, abordará uma batalha judicial que, segundo a Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (FecoAgro/SC) é injustificável e pode trazer enormes problemas para a agricultura do estado. Além disso, o programa também destacará o Balanço Social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rura...

Leia mais...

Mourão: Sistemas para monitorar Amazônia usados em apoio ao governo ‘não são os melhores’

07-08-2020

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira, 7, que o Estado brasileiro deve cumprir seu papel de proteção e desenvolvimento da Amazônia, mas que há muito desencontro sobre as informações de desmatamento na região, já que os sistemas de monitoramento, utilizados no apoio às decisões do governo, “não são os melhores” e “se ressentem de...

Leia mais...

Mourão: Sistemas para monitorar Amazônia usados em apoio ao governo ‘não são os melhores’

07-08-2020

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira, 7, que o Estado brasileiro deve cumprir seu papel de proteção e desenvolvimento da Amazônia, mas que há muito desencontro sobre as informações de desmatamento na região, já que os sistemas de monitoramento, utilizados no apoio às decisões do governo, “não são os melhores” e “se ressentem de...

Leia mais...