07 Agosto 2020

Governo pedirá à OIE o reconhecimento do Paraná como zona livre de aftosa sem vacinação

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, até a próxima sexta-feira, 14, a formalização do pedido de reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação, para o estado do Paraná, junto à Organização Mundial de Saúde Animal (em inglês, OIE). O estado está sem o uso e a comercialização da vacina contra febre aftosa desde 31 de outubro de 2019. O trânsito de animais vacinados provenientes de outros estados está proibido desde 1º de janeiro de 2020.

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, o Paraná conseguiu cumprir o cronograma de atividades relacionadas à obtenção do status. Dentre os trabalhos realizados pela Agência de Defesa Agropecuária do estado nos últimos meses, a finalização dos inquéritos soro-epidemiológicos do rebanho bovino foi priorizada. Cerca de 10 mil animais de 330 propriedades tiveram amostras de sangue coletadas.

Mas, o Paraná pode não ser a única zona a pleitear o reconhecimento do status sanitário na OIE. De acordo com o chefe da Divisão de Febre Aftosa e outras Doenças Vesiculares (Difa), Diego Viali, a intenção do Mapa é solicitar três certificações: para o estado do Paraná, do Rio Grande do Sul e para as áreas pertencentes do Bloco I do Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PE-PNEFA). Fazem parte desta área os estados de Rondônia, Acre, cidades do sul do Amazonas e municípios do noroeste do Mato Grosso.

Nesta semana, auditores do ministério estiveram no Rio Grande do Sul para verificar o avanço do estado no cumprimento das demandas anteriormente apresentadas. O relatório final ainda não foi oficialmente recebido pelo órgão em Brasília, porém de acordo com a superintendente do Ministério da Agricultura no Rio Grande Do Sul, Helena Rugeri, a conclusão é de que o Rio Grande do Sul conseguiu atender 77% dos 18 apontamentos.

O panorama parece ser satisfatório. Segundo Viali, os auditores que estiveram no estado apintaram que pontos crucias do PE-PNEFA foram atendidos. Outras demandas, como a abertura de licitação para a contratação de médicos veterinários, estão bem encaminhadas. A identificação de compromisso do governo do estado com o cumprimento das ações acendeu um sinal positivo para que a área seja incluída no pleito a ser apresentado à OIE.

Na próxima segunda-feira, 10, representantes do Mapa se reunirão com pecuaristas e entidades do agronegócio do Rio Grande do Sul e das regiões que integram o Bloco I para solucionar dúvidas, apresentar informações do processo de solicitação do status sanitário e entender o posicionamento dos produtores rurais em relação à pauta. Até a quarta-feira, 12, o Mapa deve decidir quais zonas serão oficialmente incluídas nos pedidos de reconhecimento de área livre de aftosa sem vacinação encaminhados à OIE.

Protocolo internacional

Os pedidos de reconhecimento de status sanitário são recebidos pela OIE aproximadamente dois meses antes da análise a ser realizada pela comissão técnica do órgão. Nesta etapa, o governo brasileiro pode receber questionamentos da organização, assim como solicitação de envio de mais informações.

Caso os processos recebam aval da equipe técnica, em fevereiro de 2021, a comissão científica, baseada na França, irá analisar as documentações. A decisão final da organização internacional só será divulgada na última de maio de 2021.

 


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

MT: lentidão na regularização fundiária dificulta acesso ao crédito

21-09-2020

Itanhangá é uma cidade do médio norte de Mato Grosso que foi emancipada através de um projeto de assentamento. Atualmente, o município tem uma população de 9 mil habitantes, entre eles, mais de 1.100 famílias que dependem exclusivamente da renda da agricultura familiar e a mais de 25 anos lutam pela regularização fundiária do município.“Foram mais ...

Leia mais...

Boi gordo: preços avançam no centro-norte, diz Safras

21-09-2020

O mercado físico do boi gordo inicia a semana com continuidade do movimento de alta no centro-norte do país. O movimento nas demais regiões ocorreu de maneira mais cadenciada. No mercado paulista a percepção é que está mais fácil a composição das escalas com boiadas de outras regiões produtoras. A oferta local permanece muito restrita.Segundo o ana...

Leia mais...

“Indicação de Trump à Suprema Corte pode ter efeito contrário nas urnas”

21-09-2020

A semana deve ser tumultuada com a corrida pela presidência dos Estados Unidos. O atual presidente, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira, 21, faltando 50 dias para eleições, que deve indicar um novo nome para assumir a vaga da Suprema Corte que ficou vazia após a morte da juíza Ruth Bader Ginsburg, na última sexta-feira.A declaração provocou ...

Leia mais...

Alta dos alimentos: governo pode taxar exportações, afirma Daoud

21-09-2020

A equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro, se reuniu nesta segunda-feira, 21, com objetivo de buscar de mecanismos para controlar a inflação e a alta no preço dos alimentos. Na avaliação de Miguel Daoud, comentarista do Canal Rural, o preço dos alimentos deve continuar subindo, mas isso não significa que o governo deve pensar em tributação.“N...

Leia mais...

Atraso no plantio da soja pode resultar na falta do grão em janeiro, diz analista

21-09-2020

A estiagem em algumas regiões do Brasil está fazendo com que os sojicultores adiem o plantio da soja, sobretudo no Centro-Oeste brasileiro. No entanto, essa notícia gera uma preocupação no mercado por causa de contratos que já foram fechado.Segundo o analista de mercado Luiz Pacheco, da T$F Agroeconomia, o aumento pela demanda de carnes brasileiras...

Leia mais...

Preços em queda prejudicam vendas do algodão no mercado interno

21-09-2020

O preço do algodão continua a cair no mercado interno, em função da maior oferta da fibra, mesmo com demanda levemente mais firme por parte das fiações, aponta análise feita pela .O Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, registra uma baixa de 5,9% nos últimos 30 dias, cotado a R$ 3,10/libra-peso, mas com altas acumulada...

Leia mais...

Mapa confirma proibição de uso e venda do Paraquat a partir desta terça, 22

21-09-2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou na noite desta segunda-feira 21 a proibição do uso e venda do Paraquat a partir desta terça, 22.Por meio de nota, o Mapa informou que dará início ao procedimento de cancelamento do registro dos produtos à base de Paraquat e adotará as providencias necessárias para o cumprimento ...

Leia mais...

Açúcar: Bolsonaro afirma que Brasil terá cota extra de 80 mil t no mercado dos EUA

21-09-2020

O presidente Jair Bolsonaro publicou nas redes sociais nesta segunda-feira, 21, a informação de que o governo dos Estados Unidos comunicou o Itamaraty de que o Brasil receberá uma cota adicional de 80 mil toneladas de açúcar no mercado americano.“Trata-se já do primeiro resultado da recém-abertas negociações Brasil-EUA para o setor de açúcar e álco...

Leia mais...

Soja segue em alta no Brasil e saca chega a R$ 156

21-09-2020

Os preços da oleaginosa dispararam no mercado interno, mesmo com as perdas observadas na Bolsa de ChicagoPor Canal RuralCom o dólar encostando em R$ 5,50 durante esta segunda-feira, 21, os preços da soja ignoraram a realização de lucros de Chicago e dispararam no mercado interno. Houve indicação de saca a R$ 156 no interior do Rio Grande do Sul par...

Leia mais...