16 Julho 2014

Safra 2014/2015 de soja deve ter custos de produção elevados e preços em queda

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Foto: Divulgação / Sxc
Área deve passar de 8,6 milhões de hectares, alta de quase 4% em comparação com a safra passada

O período das lavouras de Mato Grosso é de vazio sanitário até meados de setembro. A movimentação persiste apenas para os produtores que estão colhendo milho safrinha ou algodão. A soja, por enquanto, só aparece nas expectativas dos analistas, e os produtores que já começaram a planejar o plantio da safra 2014/2015 estão apreensivos. Os custos de produção devem ser maiores e os preços, menores.

De acordo com dados do Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), a área plantada e a produção devem crescer na próxima safra. A área deve passar de 8,6 milhões de hectares, alta de quase 4% em comparação com a safra passada. Se tudo correr bem, a produção deve crescer quase 5%, para mais de 27 milhões de toneladas. E semente de boa qualidade capaz de suprir esse aumento não vai faltar. É o que garante a Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat).

– O volume de sementes produzido no Estado de Mato Grosso é praticamente suficiente para atender a demanda dos produtores de grãos. Conforme o Estado vai aumentando a sua área de plantio, os produtores de sementes vão aumentando os investimentos suas unidades de beneficiamentos e aumentando o potencial de suprir a demanda estadual. No momento do ato da colheita, já se faz a seleção da qualidade das sementes e, com certeza, teremos uma boa safra – garante o vice-presidente da Aprosmat, Gladir Tomazeli.

Se as expectativas são boas em relação ao cultivo dessa próxima safra, o mesmo não pode se dizer do custo de produção. Os custos devem ficar bem acima da safra passada, passando de R$ 1440 por hectare. A maior parte desse valor vai para fertilizantes e defensivos, depois para sementes, operações com máquinas e, por último, mão de obra.

– Essa é uma situação preocupante, porque nós viemos trabalhando com soja na casa dos R$ 45 a R$ 50 nos últimos dois, três anos, que é um preço razoavelmente bom, pelo custo que nós temos na região. Mas com os Estados Unidos anunciando boa safra, mesmo o estoque estando baixo, o mercado jogou os preços para baixo. Isso implica no nossos custos, porque nós temos a venda baseada no preço de Chicago, ou seja, quem determina os preços dos grãos é a Bolsa de Chicago, então você tem toda a dificuldade, porque o Custo Brasil é interno, você não tem como mexer nele, é a política brasileira – explica o presidente do Sindicato Rural de Sinop (MT), Leonildo Bares.

• Acompanhe as cotações da soja

Além dos custos, outra grande preocupação dos produtores é o ataque de pragas. Bares reforça que ainda não há o controle da lagarta Helicoverpa armigera.

– Não temos produtos que controlem e que estejam liberados para ser usados, então isso é uma incógnita. Está todo mundo preocupado com isso.

O produtor Carlos Alberto Schneider sabe bem o que é isso. Ele cultiva algodão e soja em Jaciara (MT). No ano passado, o ataque da armigera foi severo, e, mesmo com duas aplicações extras de defensivos, o combate da praga foi difícil e não foi suficiente para evitar a quebra de mais de 10%. Para esta safra de soja, o produtor já garantiu a compra dos defensivos. Agora, a precaução pode trazer reflexos no bolso.

– A mão no bolso é inevitável, porque a gente não pode partir do princípio de que vai fazer um plantio e não vai conseguir colher, a gente tem que colher o mínimo de sacas para manter o rendimento da fazenda, o lucro da fazenda. O custo de produção já ficou mais elevado e a perspectiva para a soja não é muito boa, em função dos últimos levantamentos de produção, que já fizeram os preços baixarem. Então a nossa estimativa de venda é com preços baixos e custos mais altos – relata o produtor.

>> Leia mais notícias sobre grãos

Assista:

CANAL RURAL


Fonte Rural BR

Mais Notícias

Comercialização de café atinge 78%

22-02-2018

A comercialização da safra de café do Brasil 2017/2018 chegou em 78% até o dia 20 de janeiro. O dado faz parte de levantamento da consultoria Safras & Mercado. No último mês, as vendas avançaram em sete pontos percentuais.De acordo com a empresa, as negociações estão atrasadas em relação ao ano passado, quando 81% da safra 201620/17 estava...

Leia mais...

MT: área de algodão na safra 2017/2018 cresce 25%

22-02-2018

Com o plantio da safra 2017/2018 praticamente encerrado, o presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Alexandre Pedro Schenkel, divulgou os resultados do levantamento de área de cultivo do algodoeiro.Segundo ele, a área de algodão no estado é estimada em 783 mil hectares, com aumento de 25% em relação à safra 201...

Leia mais...

Milho: janela de plantio está terminando em MG

22-02-2018

As lavouras de milho safrinha de Unaí (MG) começaram a ser cultivadas somente nos últimos dias, o que traz preocupação aos produtores uma vez que o prazo ideal para o cultivo do cereal termina no final do mês, destaca o departamento técnico da Cooperativa Agrícola de Unaí (Coagril).Fonte do departamento técnico destaca que frente há outros anos o a...

Leia mais...

Soja: consultoria corta safra da Argentina em 18%

22-02-2018

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam com preços mais altos nesta quarta-feira, dia 21. O mercado se manteve próximo do melhor patamar em sete meses, devido ao clima seco na Argentina, que deve persistir até o mês de março.Com o estresse hídrico desde novembro, a safra da Argentina foi cortada em...

Leia mais...

Cotação do arroz no RS cai 7% em 2018

21-02-2018

O ritmo de comercialização do arroz em casca está lento no Rio Grande do Sul. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), boa parte das indústrias e dos produtores demonstra baixo interesse em negociar novos lotes.A entidade explica que os agricultores têm ofertado o produto apenas quando há necessidade de “fazer...

Leia mais...

Café: preço em fevereiro acumula queda de 2,5%

21-02-2018

Os preços internos do café arábica estão em queda desde o final de 2017, pressionados pela perspectiva de uma safra 2018/2019 volumosa no Brasil. Nos últimos dias, as quedas nas cotações externas e a desvalorização do dólar intensificaram o movimento de baixa dos preços domésticos.Entre os dias 14 e 20 de fevereiro, o indicador Cepea/Esalq do arábi...

Leia mais...

Produção de soja em SC deve atingir recorde

21-02-2018

A produção de soja de Santa Catarina em 2017/18 deve atingir 2,52 milhões de toneladas, aumento de 5% ante o ciclo anterior. Se atingido, o volume será recorde, segundo a secretaria de agricultura do estado, que fez a projeção com base em levantamento do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).O crescimento leva em conta aumen...

Leia mais...

Fertilizantes: entregas caem 6,4% em janeiro

20-02-2018

As entregas de fertilizantes para o consumidor final em janeiro diminuíram 6,4% em relação a igual mês do ano passado e somaram 2,443 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, dia 20, pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).  A produção nacional de fertilizantes intermediários também recuou no mês p...

Leia mais...

Produção de etanol de milho cresce 130% em um ano

20-02-2018

No acumulado da safra 2017/2018 até o dia 1º de fevereiro, o volume de etanol fabricado a partir do milho totalizou 391,85 milhões de litros, sendo 322,07 milhões de litros de etanol hidratado e 69,79 milhões de litros de etanol anidro, volume 130% superior ao valor registrado em igual data do ciclo anterior. Os dados são da União da Indústria de C...

Leia mais...